O longa metragem foi exibido em um festival em Toronto, Canadá, e médicos precisaram ser chamados à sala onde o #Filme "Raw" (#Grave) estava sendo mostrado nesta última terça-feira (13). O filme premiado pela FIPRESCI (Federação Internacional de Críticos de Cinema) no Festival de Cannes, em 2016, contém cenas explícitas de canibalismo e é extremamente violento. Uma ambulância precisou ser chamada assim que começaram as cenas mais fortes e diversas pessoas começaram a passar mal, vomitando e desmaiando.

O produtor de cinema, Ryan Werner, confirmou o ocorrido e comentou que somente viu reações físicas como estas em uma sala de cinema, durante a apresentação do filme "Anticristo", de Lars Von Trier.

Publicidade
Publicidade

Filme de terror nas telas tupiniquins

Ainda sem previsão de entrada nos cartazes nacionais, o filme está tendo duas versões de expectativa: fantástica, para os amantes de filmes de horror e suspense; e catastrófica, para os que até gostam de #Terror, mas não suportariam ver cenas tão reais de humanos comendo um outro semelhante.

O filme conta a história de uma jovem vegetariana que tem que passar por um trote universitário do curso de medicina veterinária, sendo obrigada a comer fígado de coelho cru e logo após desenvolve um desejo por carne crua e torna-se aos poucos, canibal.

A protagonista é uma jovem atriz, Garance Marillier, que está estreando com o filme "Raw" nas telonas, que é dirigido por Julia Ducournau.

O que dizem sobre "Grave":

"Muitas vezes as cenas são tão realistas que são difíceis de olhar, cenas que os telespectadores de natureza sensível podem achar perturbador ver extremidades dilaceradas, marcas de mordidas e feridas abertas, perfeitamente na linha entre a diversão visceral dos efeitos práticos e ostensiva que chama a atenção," Variety, sobre o filme.

Publicidade

Internautas publicaram notícias sobre o ocorrido que não conseguem imaginar quão terrível esse filme seria, comparando com suas piores experiências como espectadores de filmes de terror. Inclusive citaram os nomes dos que acharam "difíceis de assistir ou esquecer": "120 dias de Sodoma", "Centopeia humana 2", o filme "Anticristo" também citado pelo produtor Ryan Werner, "Terror sem limites", o remake "A morte do demônio" e também foi citado "Holocausto canibal" onde o espectador afirma ser indescritivelmente perturbador ver as mortes dos animais e saber que são reais.

Segue um pequeno vídeo sobre o filme: