#Pokémon Go é um aplicativo, um jogo de realidade aumentada, e se tornou o produto mais baixado do planeta. O jogo Pokémon estreou de forma oficial no Brasil no passado dia 3 de agosto. Desde seu lançamento, líderes religiosos são contra o aplicativo, por acreditarem que pode ser uma conspiração satânica. Sabemos o quanto o Pokémon Go está fazendo sucesso entre crianças, adolescentes e até alguns adultos, sendo a sensação do momento. Vale lembrar que existem algumas pessoas que não estão nem um pouco contentes com esse tipo de jogo.

Cristãos contra o app

O bispo da cidade de Noto, na Sicília (Itália), Monsenhor Antonio Staglianò, tem reclamado deste aplicativo. Segundo ele, este jogo é um aplicativo diabólico, que tem os mesmos efeitos de bebidas alcoólicas.

Publicidade
Publicidade

O bispo chegou a procurar orientação de dois amigos advogados, para saber se existe a possibilidade de fazer uma denúncia; o religioso acredita que este aplicativo trata-se de um alarde Social.

"Pedi aos meus dois amigos advogados, Corrado Valvo, do fórum de Siracusa, e Marcello Bombardiere, do fórum de Crotone, que pensassem na natureza da denúncia", disse o bispo.

Monsenhor Antonio Staglianò chegou a comparar o jogo com o sistema nazista, e também declarou estar muito preocupado com o futuro da humanidade.

O bispo Monsenhor Antonio não é o único a reclamar do aplicativo. O Pastor Rick Wiles também considera o aplicativo um jogo demoníaco. O Pastor Rick comentou que fica chocado com a reação que o jogo causa nas pessoas, e que esse comportamento pode destruir a vida espiritual dos jogadores.

Publicidade

"Acredito que esse jogo não só pode acabar com a vida espiritual dos jogadores como também é um íman para demônios, "disse o pastor.

Islâmicos proíbem o jogo

Vale lembrar que na Arábia Saudita e no Egito as autoridades religiosas proibiram a caça ao pokémon, praticamente pelos mesmos motivos invocados pelos prelados cristãos citados em cima.

Não sabemos, de fato, se esse jogo realmente é demoníaco ou se isso é apenas uma reação cultural ao fenômeno. O importante é que cada usuário não permita que esse ou qualquer outro jogo deixe de ser diversão e se transforme em vício, disse o Bispo da #Igreja, Monsenhor Antonio Staglianò.

  #Polêmicas