Muitos teóricos do Transhumanismo, vem discutindo a superação da condição humana por meio da tecnologia que nos últimos tempos, vem cada vez mais, avançando e dando lugar ao bem-estar humano. Mas será que esse bem-estar é ético ou mexera com as estruturas da moral social? Podemos ver essa discussão ser levada adiante, quando vimos que ultrapassa os estudos acadêmicos e vão para Hollywood.

Por exemplo, quando assistimos filmes como Chappie (2015), que discute a transferência de consciência e se a consciência, transcende até a mente e o cérebro. Essa discussão não é nova e nem será a única, pois, se conseguíssemos carregar uma consciência em uma máquina ou um corpo robótico, se tornaríamos eternos.

Publicidade
Publicidade

Mas num ponto ético e até espiritual, isso seria algo viável? Será que mesmo se tivéssemos uma consciência e tivéssemos vontade (a potencialização desse ato), não seriamos limitados pelos sistemas do hardware usado?

O ponto ético não para por aí, se discute até que num futuro não muito distante, seres humanos poderiam casar com robôs e até fazerem sexo com máquinas. Até mesmo a nanotecnologia, poderia até construir corpos ciborgues, ou até mesmo, reconstruir membros amputados ou com sequelas de acidentes. Até existem teorias que ultrapassam o campo científico – não que a ufologia não seja uma ciência – que são no mínimo, exóticas. Como a teoria ufológica que os extraterrestres que abduzem as pessoas e segundo seus relatos, seriam na verdade, seres humanos do futuro que vinham para o passado corrigir erros que afetaram sua parte genética.

Publicidade

Ou até mesmo, são androides biológico que podem viajar grandes distâncias sem morrer no meio do caminho de velhice.

Teorias ufológicas à parte, a questão é que o avanço tecnológico está muito forte e tem o poder de mudar rapidamente nosso jeito de ver o mundo e as pessoas desse mundo. Antigamente, as cadeiras de rodas eram feitas de ferro e não tinha muitas opções, com grandes pesquisas, foram tonando mais leves (alumínio) ou mais resistentes (titânio). Claro que nem todos tem acesso, principalmente, em países como o nosso, mas, enxergar esses avanços é inevitável. Até mesmo, em um futuro não muito distante – assim se espera – as pessoas paraplégicas ou de outra deficiência não irão mais ter cadeiras de rodas, mas exoesqueletos (estruturas metálicas de suporte corporal).

Pessoas surdas hoje em dia, podem optar por Implante Coclear (IC), que não ganham uma audição perfeita, mas ganham uma esperança em ouvir. No futuro o Implante Coclear, pode ser aperfeiçoado e aí sim, pessoas surdas, podem ouvir perfeitamente.

Publicidade

Também existem grandes avanços de pesquisas sobre os óculos especiais para #cegos, que inicialmente, tem feito vários progressos significativos que vão ajudar muito as pessoas que não enxergam. Além de já haver muitos softwares de leitura por voz.

Não podemos esquecer do físico britânico, ocupante da cadeira de Issac Newton, Stephen Hawking, que usa uma tecnologia – projetada pelo seu amigo – que usa seu comando para falar por ele. Entre outras coisas, como o rapaz #milionário que irá ser cobaia de transplante de cabeça em 2017, a primeira do mundo.   

Sendo etimologicamente vindo do termo grego “tekné”, que quer dizer, arte de moldar, assim, se pode moldar a tecnologia ao beneficio humano. E o Transhumanismo, o melhoramento e ajuda evolutiva para melhorar a condição humana.   #amputado