Ela tem 22 aninhos, é formada em jornalismo, filha de imigrantes líbios e dona de uma beleza única e típica de suas origens. Mas não foi por sua beleza que Noor Tagouri entrou para história ao ser a primeira muçulmana a posar para a revista Playboy dos EUA.

Ela que, aliás saiu de véu e roupa na revista é uma ativista online conhecida por campanhas que desmistificam a imagem das muçulmanas e suas opções de usarem o véu ou hijab, como é mais comumente chamado. Mas sua batalha não é limitada a causa humana, mas também aos direitos das mulheres como um todo.

Em seu Twitter, Tagouri publicou um texto onde se destacava a justificativa por sua atitude de escolher a revista Playboy como palco de seu ativismo: 

"Eu fiz pela #Religião muçulmana, pelas mulheres e por todos pouco representados pela grande mídia. Eu fiz pelas jovens mulheres de todos os lugares que lutam com suas identidades e se sentem mal compreendidas. Eu fiz pelas 10.000 que vieram antes de mim e foram subjugadas ou humilhadas publicamente porque elas não se conformavam com os padrões da sociedade de como as mulheres deveriam se portar. Eu fiz também pelas 10.000 que virão depois de mim para reclamarem seu poder de quebrar barreiras.

Eu fiz isto para VOCÊ, a pessoa que leu a entrevista e achou que foi inspiradora, a pessoa que está confusa, a pessoa que se desapontou comigo e para a pessoa que não sabia exatamente o que pensar a respeito. Eu fiz isto para demonstrar que não tem nada mais poderoso que uma mulher empoderada e firme naquilo que ela acredita - independente de quem esteja escutando." (em tradução livre do site pessoal de Noor Tagouri)

Sua influência já era muito grande mesmo antes da publicação da revista Playboy e seus mais de 134 mil seguidores do #Facebook e mais de 33 mil no Twitter não se limitam a religião muçulmana, pois como pode ser visto em seu website pessoal, o movimento The Noor Effect é dedicado a garantir e valorizar o poder das mulheres na sociedade atual.

Publicidade
Publicidade

A Playboy americana se reposicionou no mercado de forma diferente desde o ano passado, valorizando as entrevistas e publicando fotos de mulheres vestidas ao invés das tradicionais fotos com nudez. Esta mudança favoreceu a escolha de Noor em sair na revista, mas o fato da publicação sempre ter explorado o lado superficial das mulheres também serviu para dar notoriedade a atitude de Noor, e funcionou mesmo. #Mulher