Sabemos que é dever do estudante participar das aulas propostas pelos professores, mas, em alguns casos, é realmente complicado. As aulas são extensas, de conteúdos que os alunos não sabem como aplicar no dia a dia.

Muitos questionam qual a utilidade de saber regra de três ou no que vai mudar saber o que é predicado nominal. Realmente, nem todas as profissões vão exigir o domínio desses conteúdos. Porém, estão presentes no currículo escolar de todos os alunos e devem ser aplicados pelos os professores. Claro, isso gera um debate extenso, não vamos nos prolongar nisto de forma exaustiva.

Só vamos lembrar que é sim dever do aluno estudar aquilo que é proposto no componente curricular, de forma que ele atinja os objetivos mínimos para ser aprovado para o próximo ano.

Publicidade
Publicidade

Para isso, o aluno deve se mostrar empenhado em estudar os conteúdos, mesmo que ele não compreenda, naquele momento, a importância de se aprender o que é algoritmo. Se estiver no currículo, provavelmente o conteúdo é de suma importância para a vida daquele aluno enquanto cidadão.

Os conteúdos ensinados nas escolas devem ter uma intertextualidade com a sociedade, esse é o princípio de todo bom #professor. Porém, é realmente complicado se trabalhar desta forma, quando não se tem apoio de todos envolvidos neste processo. Um simples texto de diversidade cultural pode gerar dores de cabeça para um professor. Será que a sociedade está preparada para professores que se preocupam com o futuro – pensando aqui no que a sociedade vai se tornar e como ela vai evoluir?

Um professor pode explicar inúmeras vezes sobre a importância de não se colocar lixo no chão, de não usar drogas, de ser um cidadão ativo na sociedade.

Publicidade

Mas a fala deste só vai ser válida a partir do momento em que todos os pais, vizinhos, profissionais forem exemplos positivos e se mostrarem favoráveis ao professor.

Entendo não ser fácil estar sempre presente na escola, mas estar presente na vida de seu filho é fundamental para que ele se sinta acolhido nas dificuldades. Escola não é um centro de lazer, nem sempre os professores vão conseguir abraçar todos os problemas e necessidades dos alunos – mas eles tentam, mesmo quando não é o papel deles.

Claro que, cada vez mais, os professores tentam atrair seus alunos com aulas dinâmicas. Mas, se caso você considerar o conteúdo chato, lembre-se que ele pode ser importante e, se está sendo aplicado, será cobrado. É dever do aluno estudar e respeitar o professor. Por isso, responsáveis devem acompanhar e incentivar esse processo de aprendizagem.

Então termino aqui deixando minha reflexão sobre o assunto, nem sempre um professor vai ser “bonzinho”. Mas ele está fazendo o seu papel profissional.

Publicidade

Muitos professores tentam sim, realizar aulas dinâmicas e, certamente, elas dariam certo se os alunos dessem uma chance ao professor de aplicarem a sua aula, sem que a mesma fosse levada como brincadeira ou perda de tempo.

Aceite que o professor debata assuntos pertinentes à sociedade e, após, aplique seu conteúdo em cima de debates.

Um exemplo de como isso pode acontecer é no trabalho com textos, um poema pode explanar sobre a sociedade e pode se trabalhar verbos, substantivos, ou seja, pode trabalhar o que é cobrado dentro do componente curricular. Mas, para que esse tipo de trabalho dê certo, é preciso que alunos e os responsáveis por eles vejam a importância de se trabalhar desta forma apoiando o profissional que apenas deseja fazer um bom trabalho.

A LDB (Lei de Diretrizes e Bases da #Educação), os PCN’s e os demais documentos sobre a educação só vão ser reais a partir do momento em que a sociedade entender a importância do estudo e entender que um professor não faz nada sozinho.

Críticas sempre são bem vistas, mas lembre-se que elogios também são. Por isso, deixo aqui meu recado aos professores, obrigada por todos os ensinamentos que vocês me deram. Cada puxão de orelha, cada aumento de tom de voz, cada trabalho riscado foi válido.