Imagine o seu primeiro dia de trabalho em uma grande empresa, você toda empolgada, se apronta, passa um perfume e chega para trabalhar com todo o gás e seu chefe, antes do expediente começar, diz que a regra diária do setor é um beijo em sua boca de bom dia. O que você faria? Aceitar a regra e ser obrigada a beijar o chefe todo santo dia ou pedir demissão e procurar outro emprego? Escolha difícil não é mesmo? Foi o que aconteceu em uma fábrica de máquinas de cerveja na cidade de Pequim, capital chinesa.

Segundo um jornal local, o chefe esperto obrigava as funcionárias se apresentarem diariamente em um determinado horário para beijá-lo na boca.

Publicidade
Publicidade

A desculpa foi que esse #Comportamento melhora as relações humanas na empresa e que faz parte da cultura da organização. De acordo com a imprensa, as mulheres se mostraram resistentes a isso mas acabaram cedendo ao tórrido ritual matutino, pois ficaram com receio de serem demitidas. Duas mulheres se recusaram a aceitar a proposta e foram para o olho da rua.

Na internet, o que não faltaram foram os mais variados protestos contra esse tipo de exigência. A maioria dos questionamentos foram se os maridos ou namorados dessas mulheres estavam sabendo disso. Diante da grande pressão por parte das pessoas sobre a exigência nada comum, o chefe alegou que isso não era considerado um assédio sexual e que a relação com suas subordinadas se fortalecia cada dia mais.

O vídeo mostra em destaque que as funcionárias cumpriam seu ritual com certa resistência e que não demonstravam nenhum carinho ou afeto pelo chefe.

Publicidade

Era tudo feito por mera obrigação e por medo de perderem o emprego, já que muitas eram arrimos de família.

Vale lembrar que as pessoas são livres para fazer o que querem e nenhum artifício pode ser usado para obrigá-las a fazer o que não desejam. Mas não foi isso que fez esse patrão que causou um reboliço nas redes sociais e foi muito mal visto por todos. Já os homens, ele dizia que não precisavam beijá-lo. E aí? Ficaria no emprego ou não?

 

  #Mundo #China