Nos Estados Unidos, as eleições para presidente da super potência não estão tão pacíficas quanto realmente parecem. As coisas estão bem mais complicadas e acirradas do que vemos na TV nos últimos dias.

Após terem vazado um vídeo de Donald Trump conversando com amigos - conversa que ele intitula como de vestiário, mas que possui um alto teor machista e sexista, sua popularidade caiu muito dentro do território gringo, afinal temos neste momento em evidência o feminismo e a busca pela igualdade de gênero em uma escala mundial.

Diferentemente do Brasil, lá fora os candidatos à presidência se atacam duma forma praticamente exemplar. Nada de falar com códigos ou deixar mensagens sub-entendidas.

Publicidade
Publicidade

As coisas funcionam na base da citação mesmo e claro que Hillary, um dos fortes nomes para assumir a Casa Branca que inclusive é apoiada pelo futuro ex-presidente do país, Barack Obama, de forma alguma perdeu a chance de deixar tudo isso de lado. Claro que não.

No último debate, no dia 10 de outubro, em TV aberta, Hillary apontou Trump como uma vergonha para o país, como machista e uma pessoa que não possui o caráter suficiente para assumir tal posto, além de ter feito diversas outras críticas sobre a falta de inserção de projetos sociais. 

Quando finalmente recebeu a vez de falar, #Donald Trump pediu desculpas por suas conversas vazadas e afirmou que foi tudo uma conversa antiga, que de forma alguma o representa na atualidade. Como se não bastasse, ainda aproveitando a atenção do público, Trump disse que caso levasse o cargo de presidente dos EUA iria procurar um advogado e um juiz para processar Hillary por injúria e, possivelmente, danos morais. Claro que a queridinha para presidente não se sentiu nada ofendida e continuou com sua posição forte. 

Fala-se muito da rivalidade entre Clinton e Trump, mas quem realmente irá levar a vitória nas urnas é um grande mistério, já que as pesquisas de intenção de voto costumam errar consideravelmente.

Publicidade

Enquanto o dia de votar não chega, restam apenas farpas entre seus candidatos e apoiadores. #hillary clinton #Eleições EUA 2016