Neste domingo (30), muitos eleitores votarão para escolher o candidato a prefeito e vice, na votação pelo segundo turno das eleições.

No total, serão 57 municípios que ainda não escolheram os seus futuros representantes e as pessoas terão a oportunidade de manifestarem a sua opção.

O primeiro turno de votação não foi satisfatório e mostrou um índice alto de abstenções. De acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a quantidade de #Votos anulados, em brancos e isentos foram grandes. O percentual chegou a ultrapassar os vencedores da disputa eleitoral, das três maiores capitais do país.

Tudo isso é o reflexo da corrupção que vem acontecendo no país.

Publicidade
Publicidade

O impeachment de Dilma Rousseff, a operação Lava Jato, dentre outros fatores contribuíram para o afastamento e descrença do eleitor nas urnas.

As pessoas, em sua maioria, não acreditam mais nas promessas dos candidatos, pois, depois que vencem a disputa eleitoral e se assentam em suas cadeiras, se esquecem do que prometeram em suas campanhas políticas.

Os números

O índice de porcentagem dos que não votaram chegou a 18% no território nacional. Isso mostra claramente o desinteresse do cidadão, que não se sente mais representado pelos que concorrem a um cargo público.

Algo precisa ser feito para mudar o panorama político e a questão da falta de trabalho no país. A desocupação já atingiu um patamar de doze milhões de pessoas e o novo governo, representado por Michel Temer terá muito trabalho pela frente.

Publicidade

Será necessário que se criem fórmulas, para alavancar a economia e que se façam mudanças para melhorar o atual quadro da #Política no país.

O povo

As pessoas clamam por mudanças e já se faz necessária a tão sonhada reforma política. Através dela, poderá ocorrer uma transformação da legislação eleitoral. E com novas regras as perspectivas do povo e o interesse poderão ser resgatados.  

O voto

Mesmo que as pessoas não votem no dia das eleições, os representantes serão escolhidos. É necessário que os eleitores acompanhem os políticos durante o período dos seus mandatos e cobrem deles as propostas que fizeram na campanha eleitoral.

Serão quatro anos de administração nas prefeituras e uma má gestão poderá comprometer toda a população, que espera por melhorias. As áreas da saúde, educação, transporte, saneamento básico precisam ser olhadas e bem administradas para que funcionem.

A fiscalização

Muitas cidades já implantaram o portal da transparência e, através dele, o cidadão poderá acompanhar tudo o que acontece com o dinheiro público.

Publicidade

É importante que as pessoas fiscalizem onde o gestor está aplicando as verbas e se elas estão indo para os lugares certos.

Uma boa aplicação do dinheiro trará melhorias e benefícios para a população, pois beneficiará as escolas, estudantes, hospitais, os enfermos, as periferias, os projetos sociais, a limpeza urbana, o transporte e a infraestrutura.

O voto é a forma que o eleitor tem para escolher a pessoa, que irá comandar a cidade em que vive. Por isso, é preciso participar, para depois poder cobrar. #Eleições 2016