Está tudo errado! Num país onde todos deveriam se ajudar, em um país onde os ricos estão pisando nos menos favorecidos... há povo pisando em povo e se achando melhor, segregando os que são ainda menos favorecidos (os pobres, para ser claro!), segregando os miseráveis, segregando negros, mulheres, índios e mestiços. A humanidade está segregando o humano... a humanidade está se isolando da humanidade.

Eu sou #Brasil. Brasil, não #brasileiro português. Eu sou Brasil... Brasil; árvore vermelha, nativa dessa terra brasileira. Vermelha de sangue. Sangue do povo que chora e que apanha. Sangue de índio violado há 516 anos por europeu mercenário! Brasil do estado em "Brasa" que está no peito e não apenas no nome.

Publicidade
Publicidade

A brasa que arde em chamas para lutar, para recuperar meu povo que clama. Quero meu povo politizado, quero “meus menino” estudando, aprendendo, crescendo. Quero uma sociedade justa, com um povo crítico, letrado; quero igualdade, quero humanidade e não um vampiro no governo sugando até a alma dos “meus menino” e negando-lhes a mínima humanidade.

Negro, “neguin”? Chega! Nome próprio existe para caracterizar cada SER.

Zumbi, Dandara, Amarildo, quantos mais? Quero meu povo vivo, quero meu povo misturando ainda mais! 

Brasil é mistura, Brasil é raça formada a partir da miscigenação e das misturas de culturas. Porém, hoje, Brasil é raça pura! Mistura que forma uma raça forte que cansou de ser açoitada, rebaixada, descriminada.

Da cana à cachaça, da surra a libertação, faltaram as “condição”. Brasileiro é Brasileiro, independente de cor de pele, igreja ou terreiro.

Publicidade

O sofrimento que se arrastou com o “descobrimento”, foi/é o mesmo que formou/forma o povo forte (heroico), o povo brasileiro. O povo que, como diria Darci Ribeiro: independentemente de ser branco, negro ou índio, tudo faz parte da mistura que faz desse povo, um povo brasileiro.

Se você é loiro de olhos azuis, mas nasceu no Brasil e na sua árvore genealógica tem um mulato, um índio, um mestiço ou um negro... você é mulato, mestiço, índio ou negro. Você é tudo ao mesmo tempo, você é brasileiro!

Brasil é Brasil. Não o país do futebol ou do carnaval com uma negra nua dançando com penas de pavão. Brasil é terra de índio, d’onde minha língua pinga o tupi mesmo sem sentir a gota cair. Brasil é a terra da mandioca, da árvore de tronco vermelho e do tucupi. Ser brasileiro é ser misturado, tornando-se branco, índio e negro ou mestiço ou mulato.

Brasil de onde sai o samba, o funk, o rap, o forró, o sertanejo, o pop, o rock, o MPB e tudo se junta numa coisa só. Assim como as raças e etnias fazem parte do Brasil, a mistura e o misturar de tudo em um só emaranhado também fazem, não apenas parte do Brasil, mas do SER brasileiro. 

Brasil é Brasil e o que fez do Brasil, Brasil, foi a mistura do povo, da raça, da cultura, da comida, da música, da própria mistura.

Publicidade

Brasil só é Brasil com tudo misturado.

Brasil invadido, explorado, estuprado. Brasil que criou o povo de cabelo liso e enrolado.  De pele negra, branca, parda e vermelha e a cultura... a cultura brasileira. Povo que não deve aceitar exploração e a atitude de políticas que não aceitam a própria natureza do país, fruto da miscigenação.  #Futebol