O país está vivendo sua maior recessão, onde mais de 12 milhões de brasileiros estão desempregados, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e, além dessa, que possivelmente deve ser um dos piores momentos econômicos vividos pelos brasileiros, o país ainda está experimentando uma grave crise fiscal, porque não consegue controlar seus gastos. Com essa realidade descontrolada, vai piorando ainda mais sua divida pública.

Qualquer empreendedor ou dona de casa sabe que, se não controlar seus gastos, talvez não consiga chegar ao final do mês e cumprir todos os seus compromissos, e inclusive não terá recursos suficientes para outros gastos necessários como pagamento dos fornecedores, salários, impostos, supermercado, medicamentos, educação, etc.

Publicidade
Publicidade

A mesma situação vem se passando com o governo brasileiro em decorrência da falta de responsabilidade dos antigos mandatários, em especial o último, que prejudicou de maneira vergonhosa os cofres públicos.

Se não houver a aprovação da proposta de emenda constitucional número 241, conhecida por #pec 241, o país quebrará. O que existe no momento são correntes tentando marcar posição e fazer #lobby para, assim, manter seus gastos garantidos.

No entanto, com a aprovação dessa emenda, haverá um teto para os gastos do governo. Alguns parlamentares têm apoiado a medida, teoricamente. Porém, essa decisão com certeza desagrada correntes da política que veem nisso um retrocesso ou mesmo um controle do governo.

Do outro lado, existe a base governista tentando negociar essa aprovação, mas cedendo demais aos interesses de grupos que querem imediatamente levar alguma vantagem.

Publicidade

Ou seja, se não houver compromisso de governantes e de correntes que querem olhar somente seus interesses, o país será prejudicado e seu povo ainda mais.

O próprio FMI acredita ser acertada a decisão de controle dos gastos. Nenhum brasileiro gostaria de ter que passar por essa situação, mas com parlamentares que não sabem administrar corretamente as finanças e, com um governo mais centrado, o povo supervisionando e cobrando via redes sociais, talvez em breve possamos novamente respirar e sentir o ar do progresso entrando em nossos pulmões. #Brasil