O alto índice de abstenção é realmente um recado para a classe #Política. E o recado diz que o povo não acredita mais. O povo não aguenta mais tanta mentira, tanto desleixo com a pauta da classe trabalhadora. 

Por mais que o “presidente” Michel Temer tenha reconhecido que foi um “recado para classe política”, ele se limitou a isso. Não disse qual era o recado, não entrou em detalhes. E o detalhe da questão é que o povo está despertando do sono da indolência e ainda com os olhos fechados já percebeu que a “Democracia Representativa” está falida.

Uma Democracia Representativa que não representa. Um eleito que não cumpre com as propostas pelas quais foi eleito.

Publicidade
Publicidade

E pior não temos nenhum mecanismo de cobrança. Não adianta ir na câmara dos vereadores e nem prefeitura para reclamar. Vai reclamar com o Papa”, foi o que disse o prefeito Bornier (Nova Iguaçu – RJ) para um cidadão que o questionou.   

Tal cidadão estava fazendo um protesto em frente à prefeitura. Esse foi o único meio que ele achou para reclamar as propostas de campanha, mas o prefeito disse que ele estava errado de estar protestando. Protesto não é errado, é o único meio de ser ouvido, é democrático. Hoje, tudo que significa reclamar direitos está sendo colocado como errado e subversivo. Os professores fizeram greve, mas o governador se nega a ouvir as suas demandas até que acabe a greve. Mas este é o único meio de ser ouvido.

Aqueles que não fazem protesto, aqueles que não fazem greve, não tem tempo nem disposição para sair em longas caminhas gritando palavras de ordem contra o governo e suas irresponsabilidades falaram alto nestas eleições.

Publicidade

Eles falaram nas urnas. Eles falaram quando nem sequer foram às urnas.

O alto nível de abstenções (branco/nulos/ausentes) diz que a gente não acredita nesta democracia. Não acreditamos nos seus políticos. Que o processo eleitoral é um grande circo. Que o sistema é uma farsa. O grito soa mais alto e mais forte e o anseio é por “Democracia real”, uma democracia mais direta, construída pelas bases, ou seja, debaixo para cima, onde o povo é realmente soberano. #Eleições 2016