Foram muitos os movimentos contra a corrupção no Brasil. Desde as jornadas de junho de 2013, o povo tem se manifestado contra a #Corrupção, contra os gastos públicos, contra a #Política bandida que se faz no nosso país, entre muitas outras coisas. Contudo, o povo estagnou. O motivo é bem simples: arrumaram um Cristo para expiar a culpa.

“Pegar um para Cristo”, essa é uma fala antiga, que significa que alguém foi pego de exemplo para pagar a conta. Ou seja, na conjuntura política atual é claro que quem foi pego para pagar a conta foi o PT. Não que o PT seja inocente, é culpado sim, mas não é o único culpado.  

Mas quando um é “pego para Cristo” os outros se safam.

Publicidade
Publicidade

Isto é, os outros culpados, que também devem muito, saem sem pagar a conta. É justamente o que está acontecendo na política brasileira. É visível que partidos como PMDB e PSDB estão se safando da Justiça, nenhuma ação contra eles vão  à frente, a maioria delas estão sendo arquivadas. E pior ainda é que eles clamam pelo crédito de estarem “salvando o Brasil”.

Isso ocorre porque apontaram um culpado, aquele que estava em destaque, nesse caso, o PT. Assim, o povo se esquece que o culpado é todo um sistema político. Um sistema onde a corrupção está institucionalizada. Onde a suprema vontade do individualismo reina. A frase: “É para salvar o Brasil” é de dar nojo. Ela tem sido usada para justificar toda uma política contra o povo mais pobre.  

As palavras de Temer sobre salvar o país são as mais vazias de todas, pois foi ele quem ajudou a destruir.

Publicidade

E, atualmente, parece que ele acelerou o plano de destruição. 

#Michel Temer diz que o país está em uma crise e que “ele não foi culpado”. Mas como não, se ele foi base aliada nos últimos 13 anos do governo do PT? Ele assinou o decreto de créditos suplementares. De todos os políticos, Temer é o mais conivente e responsável pela crise.

É preciso entender que ser contra o governo Temer não significa apoiar o PT.  Não mesmo. Tudo que o PT já estava fazendo a passos curtos, Temer está fazendo a passos longos. Ele surge como um inocente nessa história, coisa que não é. Sempre foi protagonista da traição do Brasil.  

Temer não sabe que o Brasil é feito de brasileiros. Ele mesmo diz “não ligar para a opinião popular”. A lógica do atual comandante é salvar o barco, nem que para isso tenha que deixar os tripulantes morrerem afogados. Essa é a lógica da PEC 241.