Se consideramos que a filosofia é importante na vida humana e que contribui para a formação critica dos jovens, não se pode deixar de conhecer e debater esta corrente de pensamento que vem fazendo muito sucesso entre os jovens do ensino médio, em Manaus.

Filosofia do olhar é uma corrente filosófica contemporânea que destaca a “#Educação do olhar” como ponto de partida do filosofar. Ela tem origem no livro O primeiro olhar – A filosofia em contos amazônicos, do professor de filosofia Luís Carlos Lemos da Silva, publicado no ano de 2011, pela Editora CRV, de Curitiba. O livro parte de pensamentos de filósofos clássicos para contextualizar o universo educacional amazônico e leva o leitor a indagar-se constantemente sobre se o olhar que você repousa sobre o outro é o mesmo que você repousa sobre si.

Publicidade
Publicidade

Tal questionamento é mesmo um paradoxo, e dos mais difíceis de resolver. No entanto, para o autor do livro, o “olhar” significa desenvolver todos os sentidos na relação sujeito-objeto, ou objeto-sujeito, no fenômeno manifestado, de forma cíclica, e não linear.

A filosofia do olhar se fundamenta na tradição fenomenológica de Edmund Husserl (1859-1939), no existencialismo de Jean-Paul Sartre (1905-1980), no personalismo de Emmanuel Mounier (1905-1950), na teoria da complexidade de Edgar Morin (1921), destacando o seguinte paradoxo: a coisa mais difícil de ser vista é aquela que está diante dos nossos olhos.

A filosofia do olhar, portanto, é uma forma livre de ver as coisas. Uma forma de entender o fenômeno na sua manifestação genuína, como é, e não como interpretamos, ou como pensamos. É o subliminar que envolve essa teoria, que destaca como sendo fundamental o não dito, o não visto, o oculto.

Publicidade

Se você quer viver uma vida plenamente feliz e que deseja superar muitos obstáculos que o impedem de viver em plenitude, comece a filosofar.

Filosofar é o ato existencial pelo qual damos sentido às coisas. É a forma como repousamos o nosso olhar sobre as coisas, sobre a nossa relação com os outros, como lidamos com o diferente de mim; se fazemos isso de forma livre, sem preconceito e sem julgamento de valores.

Dê uma olhada nas imagens à sua volta, nas coisas que lhes cercam, o que você vê? Será que você vê a essência ou a aparência das coisas? O que constitui a essência de cada coisa?

Qual disciplina irá clarificar a nossa maneira de ver as coisas se não à filosofia? Filosofar é preciso! #amazonia #ENEM