Você que fala bastante esse tipo de frase, conhece ou sabe o que são os #Direitos Humanos? Pois bem, os mesmos seriam os direitos básicos de todos os seres humanos. Sendo eles os direitos civis, políticos, sociais, culturais, coletivos, entre outros. Como a Organização das Nações Unidas já afirma "Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade'".

Então qual a lógica de proferi frases de tanto ódio? Mas infelizmente muitas pessoas ainda acham que os Direitos Humanos servem para "defender" bandido, só que a #Justiça brasileira tem seu histórico marcado por uma distribuição seletiva de punição.

Publicidade
Publicidade

Só em 2014, segundo o Ministério da Saúde, 59.627 pessoas sofreram homicídio no #Brasil, sendo uma taxa de homicídios de 29,1 por 100 mil habitantes, ficando responsável por mais de 10% dos homicídios no mundo, só que desses casos, menos de 8% são resultados de processos criminosos.

Mas para você que ainda acha que os "coitados" dos bandidos são os únicos que recebem algum tipo de ajuda, saiba que no Rio de Janeiro, a Comissão de Direitos Humanos da Alerj inclusive atende a famílias de policiais mortos, com apoio tanto jurídico quanto psicológico, assim como a família de qualquer outra vítima de violência. 

Então não achem que quem é a favor dos Direitos Humanos quer ver o criminoso livre, isso é deturpar uma ideia totalmente diferente, pois justiça não e sinônimo de vingança, apenas o que os Direitos Humanos defendem é que o criminoso seja tratado de formar justa, que os presídios não sejam superlotados e que todos cumpram suas penas sem serem torturados.

Publicidade

Pois está lá no artigo 5º da Declaração Universal dos Direitos Humanos: "Ninguém será submetido á tortura nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.", sendo também a igualdade nos casos não importando a quem, seja essa pessoa pobre ou não.

Então queridas pessoas, os ideais dos Direitos Humanos, na verdade, não é soltar o criminoso ou querer vê-lo solto, mas garantir o acesso aos direitos previstos na nossa Constituição para todos nós, e que ninguém seja alvo de qualquer tipo de tortura ou espancamento, por isso pense sempre antes de falar algo.