Uma semana depois do pleito de 30 de outubro, que definiu prefeituras por todo o Brasil, as cidades começam a preparar as transições de gestão nos casos em que a situação saiu derrotada. Mas nem tudo são flores e, como sempre acontece, a turma do inconformismo mostrou sua cara.

Fora as agressões online - que já são praticamente praxe em qualquer processo de decisão, seja política, futebol ou BBB - algumas cidades testemunham verdadeiras guerras de ego de deixar qualquer recreio de quinta série com inveja da total falta de maturidade demonstrada pelos derrotados e/ou seus apoiadores.

Resido em uma cidade do interior do Rio Grande do Sul com mais ou menos 500 mil habitantes, tendo por volta de 200 mil eleitores e a situação - no poder há 12 anos - acabou levando uma surpreendente "surra" nas urnas no segundo turno, para um candidato jovem, de discurso fácil e promessas mirabolantes.

Publicidade
Publicidade

A vitória do candidato opositor se deveu muito mais por erros de campanha do candidato da situação do que por mérito próprio, mas o inconformismo gerado superou as expectativas ainda mais do que a derrota expressiva nas urnas.

Desde a eleição, diariamente o jornal local despeja sobre nós notícias que tornam a #Câmara de Vereadores da cidade basicamente uma reunião de moleques mimados, porque os discursos têm girado em torno de revolta e até ofensas pessoais contra o prefeito eleito por 148 mil dos 200 mil eleitores registrados na cidade.

Mesmo que alguns desses vereadores não tenham sido reeleitos e não se sintam mais no papel de representantes do povo, o prefeito eleito é minoritário na casa e já conta com declarações explícitas e escandalosas de vereadores que prometem tornar impossível sua gestão.

Publicidade

Ou seja, em nome do inconformismo pela escolha do povo, esses vereadores prometem frear o crescimento da cidade pelos próximos 4 anos. Belos representantes, hein?

Já vi esse filme antes, inclusive. Todos vimos. Em 2014, quando Dilma Rousseff foi consagrada presidenta reeleita com 54 milhões de votos, também retornou ao planalto com minoria na Câmara, e também víamos deputados de oposição declarando abertamente seu interesse de impedir que a presidenta governasse. O país parou, afundamos de forma dramática em uma crise política e econômica e os deputados alcançaram o objetivo central de reverter o resultado das urnas a seu favor

Espero que os vereadores do meu município não caiam no ridículo de pedir impeachment do prefeito já de largada em 2017, mas depois de uma semana de discursos inflamados e agressões pessoais, eu não duvido de mais nada. #Resultado #Eleições