O que são ou quem são os puxa-sacos, onde essas criaturas habitam, que tipo de #Comportamento comumente adotam, são casos isolados ou se proliferam nos quatros cantos do mundo? Lamentavelmente, tais seres são pessoas de verdade, de carne e osso e encontram-se nos mais diferentes segmentos de empresas atuantes em todos os países do mundo. O puxa-saco acaba se transformando em um personagem tão icônico, que é idolatrado para interpretar papeis no cinema e em seriados como “The Office” da Grã-Bretanha e também a série homóloga dos Estados Unidos, com os atores Gareth Keenan e Dwight Schrute respectivamente.

Se há um padrão característico no comportamento do puxa-saco é o de ser um indivíduo inadequado ou inoportuno.

Publicidade
Publicidade

Tanto é assim que os colegas de #Trabalho o consideram como inspirando pouca confiança e sendo chato, o que na grande maioria das vezes faz com que sejam “isolados pelo restante da equipe”, explica o gerente da Page Personnel, Lucas Oggiam.

É comum aos empregados e profissionais brasileiros optarem pelo isolamento da pessoa eleita como puxa-saco, pois Oggiam complementa dizendo que no país, é improvável que um colega delate ou fale que alguém no ambiente corporativo seja realmente um puxa-saco.

Desse modo, o principal antídoto ou proteção para não ser taxado de inadequado ou de pouca confiança na empresa, é que o indivíduo seja capaz sempre de adotar uma postura de bom senso nas suas ações diárias no serviço, ou seja, em outras palavras, o uso de respeito no inter-relacionamento pessoal é sempre aconselhável, além de uma boa dose de discrição no ambiente.

Publicidade

#Negócios

Principais tipos de puxa-saco X seus comportamentos mais desagradáveis:

  • O queridinho: trata-se do sujeito que visa agradar e receber confetes por isso. De acordo com o especialista da Page Personnel, é o modelo mais destrutivo e perigoso na empresa, uma vez que destaca os defeitos de outras pessoas sempre diante do chefe. Enfim, o “queridinho” que provar assim, que é um líder nato e tem profundo conhecimento do negócio. Pode até ter sucesso em sua carreira profissional, mesmo que ilicitamente, se for um indivíduo articulado e hábil.
  • O hiperatarefado: parece ser um trabalhador por natureza com mil tarefas e ações a serem feitas a todo instante; entretanto, se esse puxa-saco for melhor analisado, descobre-se que ele é somente ocupado para auxiliar aos terceiros e para o seu chefe, ele se mostra o “senhor disposição”, que sempre está buscando novos desafios na empresa em que atua.
  • O cérebro blindado: de fato possui grande expertise no domínio do seu trabalho, mas dificilmente reparte conhecimento com os outros membros da equipe, porque tem receio de alguém o superar. Se utiliza da inteligência e experiência prática com o único intuito de impressionar o gestor.
  • O papagaio: é o tipo de puxa-saco que se esforça em repetir os mesmos bordões, frases e pensamentos do chefe. Em suma é um imitador por natureza, que chega ao ponto de falar vez após vez, frases e citações de palestrantes ilustres.
  • O sabe-tudo: desde os assuntos de relevância mínima até as grandes tomadas de decisão, é o dono da verdade; todavia, não passa de um ser humano frívolo e arrogante, tendo um conhecimento superficial. O mesmo Lucas Oggiam fala que é comum encontrar pessoas assim entre os profissionais oriundos da geração Y.
  • O Papai Noel: é o puxa-saco típico das festas e datas comemorativas de fim do ano, surgindo com lanches e pequenos presentes, apelando para os sentimentos do seu chefe.