A rejeição da presidente Dilma, fez, de Michel Temer, uma opção plausível para governar a nação brasileira. Apesar da maioria da população não aprovar o governo de Michel Temer, ainda assim, na ocasião do impeachment, a receptividade até que foi plausível, devido às circunstâncias.

Mas não demorou muito para que as instabilidades ocorressem. Na atualidade, podemos afirmar seguramente que, o governo de Michel Temer está em decaída. Em meio a tantas turbulências, surgem dúvidas do tipo: "foi necessário retirar Dilma do poder?", ou, "será que Temer conseguirá cumprir o mandato, sem sofrer um possível impeachment?"

Essas são dúvidas constantes que, são ainda mais questionadas em ocasiões como esta.

Publicidade
Publicidade

Só para termos ideia do quão desestabilizado se encontra o governo Temer, há delações na Lava Jato, que, citam o atual presidente.

Recentemente, também pudemos conferir o caso de renúncia do mistro da cultura. A renúncia ocorreu devido a denúncias. E não é só isso, temos também o caso da PEC dos gastos, a titulada PEC 241.

Essa proposta de emenda constitucional, é bastante polêmica. Segundo seus idealizadores, o #Brasil possui uma dívida gigantesca, sendo que, a única maneira de quitá-la, ou até mesmo amenizá-la, é através do corte de gastos públicos.

Esses cortes envolvem a diminuição de dinheiro aplicado sobre diversos setores da sociedade. Como exemplo, programas sociais como, "minha casa minha vida", poderão sofrer sérios impactos pejorativos, e neste caso, menos pessoas serão beneficiadas pelo governo.

Publicidade

Além disso, a PEC prevê a diminuição de gastos com saúde e com a educação. Este com certeza, é o principal dos motivos que levam algumas pessoas a protestarem contra esta proposta. Apesar dos cortes referentes à saúde e educação, começarem a valer a partir de 2017, ainda assim, a rejeição é imensa. A PEC 241 é tão polêmica que, até hoje não foi aprovada, e dificilmente será, devido justamente, às rejeições apresentadas pela população em geral.

Outras medidas que provam a decadência do governo Michel Temer, é a proposta de reforma trabalhista, e de reforma previdenciária. Todas essas propostas, descaradamente são medidas impopulares, e por este motivo, as críticas e não aceitação, é algo relativamente esperado. Se este governo se sustentará até o final, só o tempo dirá; mas certamente, haverá grandes desafios e barreiras a serem quebradas. #Política #Notícias