Nos últimos 14 anos, houve uma preocupação, por parte do governo, em apoiar o ingresso de estudantes nas universidades, como já é bem sabido e difundido nas mídias. A partir de tal impulsionamento, passou a crescer consideravelmente, em universidades federais e particulares, o ingresso de estudantes, seja bolsistas ou não, de modo que na cultura tem se enraizado o conceito do estudo superior.

Com todo esse incentivo e com as mudanças que vêm ocorrendo na cultura brasileira, com aumento de estudantes universitários e profissionais formados e formandos, toda a demanda de profissionais que o mercado de trabalho tem recebido, nosso querido Brasil ainda sofre gravemente pela má administração, medidas eleitoreiras e toda a corrupção no meio político, que também não é novidade.

Publicidade
Publicidade

Contudo, não se deve rejeitar boas medidas, investimentos em #Educação, incontestavelmente é uma medida sólida que traz resultados e soluções para problemas dos mais diversos no país, mas também, não pode-se deixar de lado, que o povo brasileiro já está muito desgastado por ver entrar governo e sair governo e continuar a ver navios, sofrendo à duras penas às irresponsabilidades administrativas e medidas executadas pela metade.

É o que acontece quando um governo providencia uma mudança e não cuida das consequência que acarretam tais mudanças, um governo ineficaz e ineficiente, que viabilizou o ingresso de estudantes nas universidades e não planejou os setores do mercado de trabalho para que o mesmo tivesse condições de absorver a demanda de novos profissionais que passou a crescer.

A população brasileira tem se desenvolvido culturalmente, somos uma sociedade mais amadurecida nos dias atuais, somos mais informados também, entretanto, precisamos de um governo que nos represente verdadeiramente, pensando em nós como um coletivo que trabalha, que cresce e faz o país crescer, precisamos de governantes que respeite a nação, que seja eficaz e eficiente em todas as medidas que compreendem a gestão do país.

Publicidade

Não nos adianta estar com nossos diplomas na mão e não ter emprego para profissionais qualificados, não nos adianta diplomas se nossos salários não compensa nossa incessante busca por instrução acadêmica. Todo dia, milhares de cidadãos formados são desrespeitados profissionalmente com as ofertas salariais que o mercado de trabalho propõe, e a pergunta que não se cala é uma só: "até quando os profissionais qualificados serão desvalorizados neste país?" #Emprego #universidade