Em algum momento da sua vida alguém já deve ter feito a seguinte pergunta: o que você faria se ganhasse na loteria? Se sua resposta sempre foi “eu viajaria pelo mundo”, parabéns você tem todo apoio da #Ciência!

Segundo Thomas Gilovich, professor de psicologia da Universidade de Cornell, responsável por realizar estudos sobre questões ligadas a dinheiro e felicidade, ao invés de comprar um celular de última geração ou ainda, aquele carro tão sonhado, a pesquisa sugere que você pode ser muito mais feliz gastando seu dinheiro com viagens, exposições de arte e até mesmo atividades ao ar livre.

Experiências vividas e objetos materiais

Algumas pesquisas recentes, sugerem que o maior inimigo da felicidade é a adaptação.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o professor Thomas, as pessoas costumam comprar bens materias para se sentirem mais felizes e realizadas, mas essa felicidade é temporária. “Adquirir novos objetos é sem dúvida emocionante, mas não depois que a pessoa se adapta a eles”.

É justamente por isso que fazer uma viagem, que pode se tornar inesquecível, é a melhor forma de gastar seu dinheiro.

A descoberta de Thomas une a síntese de estudos psicológicos realizados por ele e outros pesquisadores, que conseguiram finalmente provar que o dinheiro é capaz de comprar a felicidade, mas é claro, até certo ponto. No estudo foi medido o “nível de felicidade” através de algumas situações experimentais.

No início, comprar e viajar trazia o mesmo tipo de felicidade, porém, com a adaptação da felicidade ao nível de satisfação das pessoas que decidiram por comprar coisas, diminuiu, enquanto a satisfação com experiências vividas, como viagens por exemplo, subiu.

Publicidade

É claro que bens materiais fazem parte das nossas vidas, mas esse tipo de felicidade de “posse”, fica sempre em segundo plano. Com o tempo a felicidade das compras materias vai diminuindo e as experiências vividas ficam gravadas em nossa memória e fazem parte da nossa história.

Thomas afirma que “As experiências que vivemos se tornam uma parte maior de nós do que os bens materiais que possuímos”. Obviamente que você pode se sentir feliz com as duas coisas, mas elas sempre vão estar separadas, e o que realmente fará parte de você será sempre as lembranças que aquela viagem por exemplo poderá lhe trazer. #Comportamento