Um mundo medieval, época de selvageria, guerras e conquistas. Foi nesse contexto que nasceu #Joana D’arc. Pode se dizer que ela foi uma mulher à frente de seu tempo. Uma verdadeira heroína para muitos, e que lutou pelo que acreditava. No entanto, além de seus ideais, ela também tinha sede de vingança. Nasceu na França, em 1442. Era criança ainda quando a vila em que morava fora atacada e arrasada por ingleses. Mas, a jovem camponesa conseguiu escapar. Sendo criada num sistema rigoroso de religiosidade, a história registra que ela tinha visões e um dom especial para se comunicar com Deus.

Estava obcecada pela missão divina de livrar a #França de seus inimigos.

Publicidade
Publicidade

Então conseguiu convencer um nobre a levá-la à presença do rei da França. Apesar da resistência e da desconfiança dos nobres, conseguiu ser admitida no exército francês. Cortou o cabelo e vestiu o uniforme de soldado. Também passou por rígido treinamento militar.

Morte na fogueira

Ao participar de batalhas vencidas pela França, ela causava admiração, mas também a inveja. E, em algumas das batalhas, chegou até mesmo a comandar o exército francês. Uma conspiração se iniciou por parte de alguns líderes e nobres que anteriormente a apoiavam. Enfraquecida, por não contar mais com a total força de seus aliados, Joana é ferida e capturada por seus inimigos em Paris. A jovem heroína, então, iria conhecer o seu trágico fim. Na cidade francesa de Rouen dominada pelos ingleses, no ano de 1431, ela é queimada viva numa fogueira em praça pública.

Publicidade

Joana D’Arc se tornou uma lenda e um símbolo de coragem, dedicação e resistência. É irônico e contraditório. Mas, a igreja católica, que a condenou a uma trágica morte na fogueira, canonizou e a transformou em ‘santa’ muito tempo depois. Há uma polêmica que ainda perdura: a heroína teria tido mesmo visões? Ou era apenas uma criança com uma forte perturbação emocional? Certamente, na época de sua existência, as opiniões se dividiam. Porém, com uma mente sã ou não, a lendária heroína registrou a sua história... para sempre. Seu poder de influenciar e de convencer foi algo notável em tempos difíceis. A guerra e a conquista fluíam no sangue dos homens. No contexto, não havia espaço para as mulheres. Entretanto, Joana D’Arc surgiu como um belo sol da manhã. E se tornou, mesmo, irresistível em tempos sombrios.

Ela se tornou uma inspiração e orgulho para as mulheres de sua época, mas que ainda perduram nos tempos atuais. Certamente toda mulher, que conquista espaço numa sociedade machista, tem no sangue e na alma a marca de Joana D’Arc. #heroina