Yasmin é uma mulher mexicana que desde tenra idade sofreu agressões e abusos de parte de seu tio, que lhe criou na ausência de sua mãe. Ela chegou a engravidar do homem que tanto mal lhe fez, mas perdeu a criança por causa das agressões que sofria constantemente. A mulher foi criada junto com os dois filhos menores do agressor, que como ela também tinham sido abandonados pela mãe.

Os abusos sexuais começaram quando Yasmin era bem pequena. A mulher cresceu entre insultos e golpes frequentes que lhe davam profunda tristeza e solidão. Não tinha com quem conversar e desabafar: a única companhia eram essas duas crianças, testemunhas silenciosas do seu sofrimento.

Publicidade
Publicidade

Foi por elas que aprendeu a sofrer calada. Para não assustar os pequenos, a jovem mãe lhes dizia que não tivessem medo porque ela os protegeria.

Como outras crianças, Yasmin vendia doces na via pública para arrecadar alguns trocados diários e assim poder comprar a sua comida e a dos seus sobrinhos. Alguns dias eram mais difíceis que outros. Seu tio chegava embriagado, drogado, acompanhado de mulheres e homens, e a jovem era obrigada a servir-lhes e a fazer sexo com essas pessoas. Para não apanhar, submetia-se aos desejos sórdidos dessa gente.

Um dia, após os abusos constantes de seu tio e dos seus amigos, ela descobriu que estava grávida. Ficou muito assustada porque não sabia o que fazer com uma criança, nem sabia como protegê-la num mundo em que existia tanta maldade. Foi então que pensou em abortar, pois não sabia e nem podia dar ao bebê os cuidados que necessitava, ela só tinha 14 anos de idade.

Publicidade

Mas essa não era uma decisão fácil.

A menina não tinha os meios para realizar seu plano. Além do mais, a dúvida lhe atormentava. Não era justo fazer com essa criança o mesmo que faziam com ela, pois todos os seres tem direito à vida. Não era justo decidir em nome de Deus se essa criança deveria viver ou não.

Quando descobriu uma página pró-vida, Yasmin decidiu continuar com a gestação. A fé em Deus e uma criança em seu ventre lhe deram forças para seguir em frente. Pela primeira vez, começou a se rebelar contra seu tio e a exigir seus direitos, de seus sobrinhos e da criança que ainda estava por nascer. Não aguentando mais, Yasmin tentou fugir mas foi capturada por seu tio e seus amigos.

Foi levada pra uma casa, onde as agressões começaram. Seu tio castigou-a fortemente por tentar fugir. A violência dos golpes foi tanta que ela acabou perdendo o bebê. Apesar de sangrar muito, seu tio não a levou a um hospital com medo de ser descoberto. Sendo assim, foi deixada em um lugar ermo e abandonado, à espera da morte.

Publicidade

Mas Deus protegia a jovem mulher. Quando Yasmin acordou, estava num hospital sendo acompanhada por mulheres que pertenciam a um movimento pró-vida de Guadalajara. Com a ajuda dessas pessoas, ela recuperou forças e começou a curar as cicatrizes. A jovem então decidiu alçar voo e começar a viver. Mas a mulher questiona e quer saber por que razão os defensores do #aborto querem que ela caia.

"Ao aprovarem as leis do aborto, a mensagem que nos enviam é errada e contraditória", afirma. Para ela, essa forma de proteção não serve, pois é egoísta. Não se acaba com uma vida para proteger outra. É uma falsa liberdade, pensa Yasmin.

Finalizando seu depoimento ao site "Salvar El 1", ela pede que não cortem as asas a esses seres inocentes. "Deus é o único que decide sobre a vida ou a morte", afirma. #Religião