O inglês é um idioma mundialmente falado e é capaz de quebrar barreiras. Apesar de ser uma ponte entre culturas capaz de promover a comunicação entre pessoas de diferentes origens, no Brasil, aprender essa língua ainda é um desafio. Essa dificuldade está relacionada ao desinteresse da população, que nem sempre vê utilidade em aprender novos #idiomas, e à educação pública brasileira que está muito aquém da ideal.

Nesse contexto, a “saída” é optar por cursos de idiomas - com preços bem salgados - e que prometem resultados depois de anos de estudos.

O porquê do desinteresse

Ok, a “educação é um direito de todos” - como já dito pela Constituição Federal Brasileira, contudo, o desinteresse por parte de muitos alunos consegue “minar” qualquer tentativa dos professores em oferecer um processo de ensino e aprendizagem mais efetivo.

Publicidade
Publicidade

Os alunos tentam justificar seu desinteresse colocando toda a culpa na instituição de ensino definindo-a como um lugar chato, onde não se aprende nada. A verdade é que nada disso justifica, pois reclamar que algo não está bom e fazer bagunça e interromper constantemente as aulas contradiz tudo.

Além da falta de cooperação por parte dos alunos, é necessário frisar que o ensino de #inglês fica delimitado pela pequena carga horária escolar estabelecida. Em muitas escolas, a disciplina tem carga horária de, no máximo, duas aulas semanais de cinquenta 50 minutos cada.

Brasileiros x estrangeiros

A maioria dos brasileiros não consegue ver os benefícios de se aprender uma segunda língua. Muitos não veem utilidade e se perguntam “em que situação vou precisar usar o inglês?”. Em cidades do interior o desinteresse é ainda maior.

Publicidade

Por não morarem em grandes centros econômicos, o uso de um segundo idioma fica ainda mais restrito. Afinal de contas, são raros os contatos com estrangeiros e turistas.

Em contrapartida, em outros países, há uma maior preocupação em ter fluência em outros idiomas. Devido ao grande fluxo de turistas indo e vindo, os habitantes locais têm domínio de duas ou três línguas para poderem se comunicar. #estudo