Apesar do momento de luto e extrema tristeza que assola o futebol brasileiro e mundial, a vida tem que seguir e os clubes daqui continuam se mexendo e se montando para a temporada 2017. E estão começando por onde tem que começar, treinadores.

Dois voltam a times onde fizeram bons trabalhos enquanto outros são considerados da nova geração e começam trabalhos em clubes grandes.

Dois que retornam a clubes onde tiveram boas passagens são: Cristóvão Borges, no Vasco, e Abel Braga, no Fluminense.

O Vasco de 2011 e 2012 foi o último bom trabalho da carreira do Cristóvão quando assumiu o time depois de um problema de saúde do então técnico, Ricardo Gomes.

Publicidade
Publicidade

Ele foi vice-campeão Brasileiro em 2011 e fez boa campanha na Libertadores em 2012.

Uma coisa que ele terá e que não teve nos últimos trabalhos é, estabilidade pois o Vasco não costuma demitir treinadores no meio da temporada.

Já Abel Braga retorna ao clube onde foi campeão estadual e vice da Copa do Brasil em 2005 além de ter conquistado o último título brasileiro do clube em 2012. Abel teve seu último trabalho em 2014 no Inter, estava no mundo árabe e foi cogitado em muitos clubes nos últimos anos mas só agora retorna ao país e a um time que conhece muito bem.

Outros dois clubes que estão entre os que têm melhores elencos do país, Palmeiras e Atlético-MG, apostam em técnicos da nova geração e que são competentes e promissores.

O Palmeiras, campeão brasileiro de 2016, traz Eduardo Baptista para o lugar de Cuca.

Publicidade

Ele fez belo trabalho na Ponte Preta esse ano. Apesar disso, Eduardo teve um único trabalho em time grande, no Fluminense, depois de bom trabalho no Sport, mas não foi bem lá.

Tudo bem que a situação era outra naquela época, com elenco bem mais fraco e estabilidade zero. Mesmo assim, o Verdão decidiu apostar nele e espera que o resultado seja diferente do que o do clube carioca.

Baptista terá muito trabalho pois a pressão no clube será grande. Chega com certa resistência e desconfiança da torcida. A pressão no clube já é grande normalmente e agora como campeão nacional, com bom elenco e entrosamento, a expectativa para a Libertadores é muito boa. A direção alviverde aposta que Eduardo é o nome para a difícil temporada 2017. A torcida espera que eles estejam certos.

Outro que troca de técnico e aposta num treinador da nova geração é o Galo. Roger Machado, que para muitos, é o grande nome da nova geração no país, assume depois de um trabalho bom no grêmio. Ele saiu em baixa do tricolor gaúcho que, agora, sob o comando de Renato Gaúcho, melhorou demais e está prestes a ganhar a Copa do Brasil, exatamente contra o time mineiro.

Publicidade

Muita gente o considera, mesmo sem ganhar nenhum título, nem estadual, um baita treinador tendo feito um único trabalho em time grande. Acho exagero. Roger ainda não me convenceu. Terá nova chance para isso no Atlético que tem um dos melhores elencos do país. Ele é bom e competente mas não o considero, ainda, o grande treinador que muitos falam.

Finalizando, a maior aposta entre os novos técnicos para 2017 é a do São Paulo. O tricolor paulista anunciou o maior ídolo de sua história, Rogério Ceni, como comandante para as batalhas da próxima temporada.

Ele é a maior aposta pois se aposentou em 2015 e não dirigiu nenhum outro clube como treinador. Não tem experiência no cargo. Estudou bastante com grande técnicos da Europa e do Brasil mas não praticou. Apesar da falta de prática, ele chega com um respaldo enorme da diretoria e dos torcedores. Tranquilidade para trabalhar e mostrar se está pronto ou não, Ceni terá e de sobra.

Quem será que sairá melhor na escolha? Os que optaram por velhos conhecidos ou os que apostaram no novo? Acho quem corre mais riscos são Palmeiras e São Paulo e o que pode se sair melhor é Roger pois terá o melhor elenco e tem competência.

As fichas estão lançadas. Vamos ver que aposta renderá mais lucro aos "investidores". #SaoPaulo