Circulou na internet novo boato acerca do fim dos tempos. Os seis dias sem luz solar, entre 16 e 22 de dezembro, provocado pela tempestade solar que transformaria os alguns dias em noite em todo o globo terrestre.

Os alarmistas de plantão já sinalizavam para o fim do mundo com citações bíblicas, histórias de eventos naturais inexplicáveis ocorridos no passado há centenas, e talvez milhares, de anos e outras notícias sem qualquer fundamento científico ou comprovação. Sinceramente, gostaria de saber de onde vêm esses relatos, porém, a natureza nos reserva surpresas, milagres e improbabilidades, exemplo típico da medusa e sua imortalidade.

Publicidade
Publicidade

O boato teria surgido após o anúncio da NASA acerca de uma tempestade solar de grande magnitude, a maior em 250 anos, que duraria cerca de 216 horas e encobriria a Terra de partículas e poeira cósmica, que impediriam a passagem da luz solar. Sabido é que a agência vem pesquisando e observando, atentamente, nosso astro rei e suas manifestações fazem décadas. Sobre a gigantesca tempestade sim, sobre os 6 dias de noite, não é verdade e nada disso foi confirmado pela #Nasa.

Quando ocorrem tempestades solares, os danos (até o momento) são, em geral, mais materiais do que físicos ao planeta e seus habitantes, promovendo falhas nas telecomunicações e redes elétricas. Isso porque a Terra tem uma espessa camada geomagnética (vide imagem ilustrativa) que a protege das radiações solares e espaciais, além de servir como barreira de proteção para radiações e partículas cósmicas oriundas do espaço profundo.

Publicidade

Somos bombardeados constantemente por corpos celestes de pequenas dimensões, e partículas cósmicas. Além disso, existem outros meteoros e cometas que causam verdadeira preocupação aos cientistas espaciais devido às suas órbitas e aproximação com a Terra. A probabilidade de um corpo celeste se chocar com a Terra é ínfima, mas existe, tal qual é a chance de acertamos na loteria e ficarmos milionários da noite para o dia.

O fato principal, é que volta e meia nos deparamos com essas farsas de fim de mundo e não damos atenção aos fatos reais. Exemplo: A incidência de corpos transitando cada vez mais próximo à Terra, está aumentando e o tempo entre uma ocorrência e outra está diminuindo. O evento do meteorito que explodiu nos céus na Rússia em 15 de Fevereiro de 2013 é um exemplo. Em 20 anos, 556 corpos celestes que caíram na Terra. Em média são mais de 25 por ano. Todos se desintegraram, mas fica um dado preocupante... Até quando ainda teremos sorte? #explosãosolar #meteoritos