Lost foi uma série que causou verdadeira comoção na internet porque, aliado a uma trama complexa e instigante, foi uma das primeiras a mobilizar fóruns online onde o público criava teorias e mais teorias e imaginava o futuro da trama. Quando Lost encerrou, em maio de 2010, após 6 temporadas exibidas pela norte-americana ABC, além de todas as polêmicas para um final que não respondeu todas as perguntas deixadas pelo roteiro, os fãs do mundo inteiro se tornaram órfãos dessa mobilização. Durante anos diversas séries foram apontadas como a nova Lost, apenas por terem mistérios no roteiro. Mas isso não bastava e poucas vingaram por mais de uma temporada.

Publicidade
Publicidade

The Leftovers (2014 - atualmente) foi uma das principais candidatas, a série produzida por Damon Lindelof - que também produziu Lost -, tem um roteiro instigante, misterioso e lento, mas já deixou claro em sua narrativa que não se importa em resolver teorias. #Westworld (2016), que estreou em outubro e teve sua primeira temporada encerrada no domingo 4 de dezembro, segue o caminho inverso: incentivando e correspondendo às expectativas dos fãs. J. J. Abrams, que também produziu Lost, é um dos produtores da série da #HBO.

A série conta a história de um parque temático onde robôs humanoides são criados para satisfazer os prazeres dos humanos (hóspedes) que o visitam. Basicamente, homens e mulheres vão ao mundo de Westworld, que simula o Velho Oeste, para estuprar, matar, roubar, se aventurar e não ser punido por isso.

Publicidade

Porém, como repetiu quase como um mantra no último episódio na voz de vários personagens, destaque especial para o Dr. Ford (Anthony Hopkins), "esse prazeres violentos têm fins violentos".

Roteiro inteligente

O roteiro, que parece meio confuso para o telespectador de primeira viagem, mas não o afasta, dá margem para a criação de diversas teorias logo no segundo episódio, quando começamos a perceber pistas deixadas propositalmente para esse fim. Na segunda metade da temporada começaram a confirmar essas teorias, sem que o roteiro fosse previsível, pois ainda haviam tantas outras informações. Com um elenco incrível que soube dar vida aos personagens da série e atuar até mesmo com expressões faciais que beiravam o vazio, mas diziam muito, a série também ganhou com essas memoráveis atuações, incluindo o pistoleiro do brasileiro Rodrigo Santoro.

No final da temporada, o momento mais aguardado pelos fãs toma corpo de uma maneira surpreendente, pois não é quem pensamos que seria a pessoa responsável por liderar os robôs em uma investida contra os humanos que os oprimem e abusam.

Publicidade

Em uma série que mistura tantas linhas do tempo, filosofia de alta qualidade e um roteiro complexo, tudo parece tão encantador que é quase impossível ser indiferente a cada um dos personagens, sejam humanos ou robôs.

Muita coisa deve acontecer na segunda temporada, ainda mais com um final tão incrível na primeira, mas todas as jornadas deste primeiro capítulo encontram seu destino e estão prontas para ir para o próximo, não ficam pontas soltas e todas as teorias são esclarecidas, agora vamos começar a criar as próximas enquanto aguardamos a continuação de Westworld, que tem tudo para ser um novo marco na televisão, superando Lost e, quem sabe, tendo ainda mais sucesso do que a também fantástica história de Game of Thrones. #Seriados