Racismo é #Crime. No entanto, parece que as pessoas não querem assimilar o que é lei neste país. E mais um caso surge e repercute na internet e na imprensa. A cantora Ludmilla foi mais uma vez vítima de preconceito racial. Dessa vez o autor foi um #apresentador da Rede Record, em Brasília. Ele a chamou de macaca.

Entenda o caso

No quadro ‘A Hora da Venenosa’ foi noticiado que Ludmilla estava esnobando fãs. E que havia até um acordo com garçons de um restaurante para dizer que ela estava resfriada e, assim, se livraria dos fãs inconvenientes. Ao ouvir os comentários da colega de bancada Sabrinna Albert, ele se empolgou e começou a falar asneiras.

Publicidade
Publicidade

Disse que a funkeira já foi pobre e macaca. Ele deixou subentendido que agora ela estava arrogante, por ser famosa e rica.

O apresentador Marcão, ao perceber a besteira que havia falado, tentou se justificar dizendo que em sua região é normal atribuir a palavra ‘macaco’ às pessoas. Na verdade ele procurou ‘maquiar’ o #Racismo. Mas já era tarde demais. O que ele falou e deixou bem transparente é que o preconceito racial está em todo lugar, até mesmo nos programas de TV e dentro de pessoas que tem a obrigação de combater esse mal.

A cantora não deixou ‘barato’. Pretende processar o apresentador e âncora. Até mesmo comentou e compartilhou o vídeo, e fez severas críticas ao racismo que prevalece no Brasil.

Sociedade Racista

A sociedade brasileira é racista. Quem é negro sabe o que é sentir na pele o desprezo.

Publicidade

O racismo está em todo lugar: no olhar das pessoas, na expressão do rosto e nos comentários maldosos. Mas quem é negro neste país não deve jamais baixar a guarda. A funkeira Ludmilla deu o ‘troco’. O apresentador Marcão já foi punido pela TV Record. Mas vem mais por aí. Gostem ou não, racismo é crime inafiançável e imprescritível. Todavia, na maioria dos casos, a lei não funciona e a impunidade alimenta o crime. Mas e se a lei contra o racismo punisse todos os crimes? O sistema penitenciário já está péssimo. Então, como punir tanta gente?

Toda forma de preconceito deve ser combatida incansavelmente. Com relação ao racismo, é um mal que vai muito além do que se imagina. Conscientizar é importante, mas libertação é essencial. Demônios existem. E eles se manifestam através das ações e dos comportamentos dos seres humanos. Vive-se num mundo no qual os conceitos estão sendo invertidos. Talvez esteja chegando o momento de dizer: o mal está andando de mãos dadas com o bem. Mas, no momento certo, a separação vai acontecer. Quem é cristão, com um certo grau de discernimento, saberá decifrar o que está oculto aos olhos dos que não conseguem ver.