Sidnei Ramis de Araújo, que matou 12 pessoas em Campinas, incluindo a ex-mulher e o próprio filho na noite de sábado, 31 de dezembro, escreveu uma carta na qual explicava suas motivações para cometer o #Crime. E a enviou a amigos antes de agir. Nela, faz acusações à ex-mulher e a amigas e familiares da vítima, a quem repetidamente chama de "vadias". Entre suas vítimas estavam nove mulheres.

Sidnei atribui a perda da guarda do filho a um "sistema feminista e umas loucas", acusando a ex de influenciar outras mulheres a colocar os filhos contra os pais. Ele segue criticando as leis brasileiras, afirmando que há mulheres que se beneficiam do que chamou de "lei vadia da penha" e dizendo ainda que os direitos humanos servem para proteger bandidos.

Publicidade
Publicidade

O atirador se refere ainda ao fato de a justiça tê-lo condenado por algo que não fez, mas não dá detalhes sobre a razão de ter perdido a guarda do filho. Segundo o portal UOL, a mãe teria acusado o ex-esposo de abuso sexual contra o garoto em 2012.

Seu discurso é assustadoramente familiar e reflete um machismo e uma misoginia que, por vezes, passam despercebidos ou, pior, são aceitos e constantemente reforçados pela sociedade.

No início do mês, Luiz Felipe Neder agrediu a segurança de um clube em Três Corações, Minas Gerais, depois dela procurar ajudar sua esposa, com quem ele brigava. Os próprios familiares de Luiz Felipe declararam que aquela não era a primeira vez que agredia a esposa, Ana Paula Kich Gontijo.

Sidnei e Luiz Felipe cometeram crimes bastante diferentes, mas que guardam algumas semelhanças: ambos têm como autores típicos "cidadãos de bem".

Publicidade

São homens que foram, de alguma forma, contrariados por mulheres a quem atribuíram a culpa por sua frustração. Quando se veem prejudicados ou infelizes transferem as causas de suas falhas a outras pessoas, pois a sociedade lhes permite a não responsabilização por seu comportamento e lhes premia por serem egocêntricos e violentos.

As palavras de Sidnei são recorrentes, estão por toda a parte e, principalmente, na internet parece haver um espaço propício para que se proliferem. Não é preciso procurar muito: em comentários na própria notícia sobre as cartas deixadas pelo atirador há pessoas reiterando que a culpa pela chacina foi da ex-mulher. #machismo #Violência