A guerra do Facebook contra a desinformação em sua plataforma começou com um duro golpe para os sites que publicam #Notícias falsas. Agora os usuários já podem denunciar as publicações de fontes que mais confundem do que informam.

A rede social anunciou hoje, 27, que os internautas brasileiros que usam a língua inglesa como linguagem principal em seus perfis já encontram a opção “it is a Fake News” ao clicar em “denunciar publicação”.

A regra, por enquanto, só é válida para links externos. Vídeos e fotos publicados diretamente na plataforma ainda não podem ser denunciados com essa opção.

Efeito Trump

Em dezembro de 2016, em meio às polêmicas das eleições presidenciais americanas, o #Facebook recebeu duras críticas por deixar circular livremente em seus feeds uma enxurrada de conteúdos falsos.

Publicidade
Publicidade

Diversos pesquisadores apontaram o crescimento exponencial de publicações falsas que, acreditam, influenciaram nas eleições. De acordo com os analistas, o candidato mais beneficiado com a tática de “guerrilha de desinformação” teria sido Donald Trump, eleito 45º presidente dos Estados Unidos.

A ‘luta’ está só começando

Disponibilizar um mecanismo de denúncia é só a primeira arma do Facebook. Mark Zuckerberg, CEO da empresa, anunciou recentemente um pacote com sete medidas para inibir a circulação de conteúdos mentirosos na rede:

  1. Criação de um sistema mais eficaz para detectar o que os usuários marcarem como falso;
  2. Simplificação do processo de denúncias;
  3. Parcerias com empresas de apuração de fatos (agências jornalísticas, por exemplo);
  4. Rotulação dos links denunciados como conteúdo falso e sinalização clara quando estes forem compartilhados;
  5. Aumento de exigência de qualidade para os links que aparecem marcados como "relacionados" na timeline;
  6. Diminuição da receita de anúncios em sites com conteúdo falso;
  7. Colaboração de jornalistas para intercâmbio de métodos de checagem de notícias.

Como a maior rede social do mundo, o Facebook é uma espécie de “cardápio” onde os internautas se servem de informação.

Publicidade

É dele que provém o maior percentual de acesso aos sites noticiosos, de acordo com o relatório Digital News Report produzido pelo Reuters Institute.

A Blasting News fez contato com o Facebook Brasil para esclarecer se há previsão de disponibilizar o recurso também para os usuários cuja linguagem principal é o português, mas até o fechamento desta matéria não obteve resposta. #Trump