"Vitimismo”, dentre as palavras do momento, tem sido uma das mais usadas para desmerecer a luta diária das mulheres, e claro, a expressão “mimimi” tem sido tão utilizada quanto. Muitas pessoas que se afirmam ser contra o feminismo têm olhado a situação como se fosse uma guerra nomeada: homem versus mulher – quem é o mais da ora?

Porém, o que deve ser refletido não é isso. O que precisa ser levado em conta é o risco que as mulheres correm dia após dia.

Provavelmente você deve ter se deparado com a seguinte proposta circulando pelas redes sociais: procure pela palavra enteada na internet e veja o que aparece.

“Quanto mimimi, para que eu vou fazer isso?” Pode deixar que eu lhe conto.

Publicidade
Publicidade

Quando eu fiz o teste, apareceu logo de cara uma quantidade exorbitante de sites com conteúdo pornográfico, e ainda notícias sobre padrastos que estupraram as suas enteadas.

Sabe o que isso significa? Primeiro que há uma quantidade assustadora de pessoas que procuram por esse tipo de conteúdo. Sim, isso mesmo. Segundo, que isso nada mais é do que um espelho da nossa realidade.

Em 2014, o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) revelou, com base nos dados de 2011 do Sistema de Informações de Agravo de Notificação do Ministério da Saúde (Sinan), que 527 mil pessoas são estupradas por ano no Brasil, e que desse número, 70% são crianças e adolescentes e 89% são do sexo feminino.

Pessoas são violentadas diariamente e em pleno século XXI ainda há quem queira desmerecer a luta das mulheres.

Publicidade

É claro que você não precisa concordar com tudo o que é dito diariamente (eu não concordo com muitas coisas que ouço saindo da boca de diversas feministas), porém, se você tem o mínimo de humanidade dentro de você mesmo, é de extrema importância que você saiba respeitar essa luta.

O #Estupro não é uma situação isolada. Ele traumatiza, mata e acontece com pessoas que estão a sua volta o tempo todo.

Nós mulheres lutamos não apenas por nossos direitos dia após dia, mas também por nossas vidas em si, e ainda para que possamos ter uma próxima geração com muito mais consciência, respeito e humanidade.

Portanto, da próxima vez que for chamar de “vitimismo” ou “mimimi” o #Feminismo, lembre-se do privilégio que os homens têm por não sentirem o medo constante do estupro.

Aliás, aproveita e busca pela palavra #enteado, exatamente no masculino. Há uma grande quantidade de conteúdo pornográfico? Não né? Pois é!