Justin Wren era considerado uma promessa no mundo da luta, pois era um dos melhores no quesito de Artes Maciais Mistas (MMA). O americano foi contratado no ano de 2010 para participar da maior competição de lutas do mundo, o #UFC. Entretanto, o que poucos esperavam era que ele iria sair do esporte de uma maneira não muito convencional com um objetivo menos convencional ainda. Ele largaria sua carreira para se tornar um missionário.

Dentro do octógono, Justin participou de apenas uma luta na qual perdeu por pontos. Sua justificativa foi que sua vida e seus objetivos para ela, haviam mudado alguns meses antes em um retiro cristão que ele havia participado.

Publicidade
Publicidade

Ele contou que nunca quis ser cristão, pois odiava esse título que era dado.

O lutador disse que tudo mudou quando ele conheceu cristãos e percebeu o amor que eles tinham em Deus e com as pessoas. Segundo ele, elas pareciam ver o mundo de uma maneira diferente, de um jeito verdadeiro. Nisso ele decidiu entregar sua vida a Jesus Cristo e o lutador, que antes teve problemas com drogas e tendências suicidas, relatou que todos os pensamentos ruins se perderam e ele nunca mais utilizou drogas.

O ex-lutador conta que os sonhos dele deixaram de ser a fama, poder e dinheiro e passaram a ser servir a Deus. Logo começou a fazer pregações em prisões, dava seu testemunho para que alguém pudesse se sentir tocado e também mudar de vida.

Entretanto, ele relatou uma visão que teve no qual estava no meio de uma floresta em uma aldeia cheia de crianças com problemas de desnutrição e com algumas pessoas doentes.

Publicidade

Contou que acordou chorando muito com a visão que teve, pegou a Bíblia e uma passagem o atraiu, fez com que seu coração se incendiasse. A passagem era Isaias 58, versos 6 a 12 que diz que devemos abrir mão de parte do que temos para compartilhar com aqueles que não tem nada.

Ele conversou com um amigo cristão que estava indo para o #Congo em uma missão. A aldeia que seu amigo descreveu era muito parecida com a que ele teve na visão. Logo então ele recebeu um convite e foi para o país para ajudar aqueles que precisam. Uma atitude um tanto quanto admirável, diga-se de passagem. #ajuda