A afirmação título do artigo foi do filósofo e escritor Luiz Felipe Pondé, um dos mais influentes filósofos contemporâneos. Luiz Felipe Pondé tem seu próprio canal no Youtube e também diversos vídeos de suas palestras publicados por outras pessoas. O filósofo também é colunista do jornal Folha de São Paulo.

Com grande expansão nos anos 1990, as igrejas evangélicas crescem cada vez mais no Brasil. Antes discriminados, chamados de "crentes" de modo pejorativo, hoje ser evangélico é algo popular. É comum encontrar em qualquer cidade interiorana 4 ou mais igrejas evangélicas. Os religiosos possuem vários canais na TV aberta.

Publicidade
Publicidade

Muitos evangélicos comemoram essa popularidade e aceitação como sendo o resultado do alcance da palavra de Deus no Brasil e de muitos corações convertidos para Jesus. Outros do meio evangélico criticam as inúmeras igrejas e novos crentes porque o enfoque da #Religião, em boa parte, está sendo na prosperidade material, e não na salvação da alma.

Seja como for, para alguns estudiosos interessados na área da religião, o Brasil, um país antes de maioria católica, não será mais, nem mesmo contando os não praticantes.

Para o filósofo Pondé, segundo declarou em sua palestra "Medos contemporâneos", promovida pela Escola de Governo e Desenvolvimento do Servidor, de São Paulo, "A revolução evangélica veio pra ficar. A Igreja Católica que tome seu rumo, que vai perder o mercado." Por que Pondé acha que a Igreja Católica vai perder o mercado religioso? Ele disse: "A igreja católica é muito ruim pra disputar mercado religioso: pesada, burocrática, enrolada, incompetente, fez opções teológicas que agora estão em crise porque o mundo migrou para um lado direito.

Publicidade

Os evangélicos, ao contrário, são ágeis. Cem cadeiras de plástico, um microfone, e Jesus no coração, e eu mando ver." O filósofo e escritor ainda acrescentou: "Não vai sobrar pra ninguém, os evangélicos vão engolir o Brasil em poucos anos." Para ele, "A Igreja Católica tá levando o maior cacete."

Os dados não mentem. O chamado protestantismo está em ascensão no Brasil. Em 1980, só 6,6% da população se declarava evangélica. No censo do IBGE de 2010, 22,2% se declararam evangélicos. E o número dos crentes passou de 26,2 milhões em 2000 para 42,3 milhões em 2010; ou seja, um aumento de 61,45% em 10 anos.

E numa previsão mais conservadora que a de Pondé, o prognóstico é que em 2040 o número de evangélicos supere o de católicos. A previsão é do professor da Escola Nacional de Ciências Estatísticas, do IBGE, José Eustáquio Diniz Alves, no estudo “A dinâmica das filiações religiosas no Brasil entre 2000 e 2010”. #Fé #Gospel