A criminalidade no Brasil é histórica e trata-se de um problema social enraizado na formação do povo brasileiro desde a colonização portuguesa. Embora muitos defensores de leis mais duras, como a redução da maioridade penal, atestam que esse é o caminho para solucionar a #Violência no país, vemos que ações sociais são mais eficazes.

Presos tinham celulares e controlavam presídio

A chacina em Manaus só expõem como todo sistema de segurança pública é ineficaz, presos portarem telefones celulares e smartphones é naturalizado por inúmeras autoridades. Dentro dos presídios, facções criminosas tomam conta de todos os detentos e decidem quem deve morrer.

Publicidade
Publicidade

Antes da chacina acontecer em Manaus, muitos órgãos já tinham alertado sobre o controle e o rompimento de facções criminosas no norte do país.

Mas diante do segundo maior massacre que aconteceu em presídios no Brasil, uma falta de atitude da maior autoridade do executivo foi percebida por milhões de brasileiros. O presidente #Michel Temer (PMDB) ainda não se pronunciou sobre a chacina.

Presídio em Manaus era privatizado

Como já foi reportado por inúmeros veículos de informação, o presídio onde aconteceu a chacina em Manaus era privatizado. Expor o local como privatizado pode colocar fim ao projeto que pretende privatizar as cadeias em todo o país. O negócio que tornaria lucrativo para empresas, que passariam a administrar presídios, pode ter ido por água abaixo deste ocorrido.

O crime coloca em prova o sistema carcerário privado, que é considerado por militantes de direitos humanos ligados ao sistema carcerário como um sistema desumano que visa apenas o capital.

Publicidade

A medida, que vai de contra aos programas de ressocialização dos presos, pode aumentar ainda mais a violência no Brasil.

Alguns estudantes e militantes políticos apontam que a redução da menoridade penal aumentaria exponencialmente o número de pessoas presas, superlotando as cadeias em todo o país. O silêncio de Michel Temer impressionou muitas pessoas que esperavam um pronunciamento do presidente diante da morte de 56 pessoas na segunda maior chacina no Brasil.

A maior chacina que aconteceu no país foi em 1992, no extinto presídio do Carandiru, em São Paulo. #presídio Manaus