Se você, depois de cinco ou quatro anos conseguiu se formar, meus parabéns! E se você conseguiu um emprego, mais parabéns para você! Agora, se você respondeu positivamente à primeira afirmação, mas a segunda não, esse texto é para você.

Parabéns você é um #desempregado

Primeiro não se descabele, isso só vai fazer mal ao seu cabelinho que não tem nada a ver com sua falta de emprego. Segundo, calma! Ou talvez não. Tem coisa pior do que alguém lhe mandar ter calma? Tem sim e vamos descobrir daqui a pouquinho.

Quando você entrou na faculdade, seu pensamento era: com uma profissão vai ser 100% mais fácil arrumar um emprego.

Publicidade
Publicidade

Certo? Errado, meu caro otimista, muito errado. De acordo com algumas pesquisas recentes, a taxa de desemprego para este ano de 2017 só vai aumentar.

Você começa a entender que para o mercado de trabalho começar a lhe enxergar você tem que ter feito estágio e depois feito uma pós, um mestrado, falar cinco idiomas e, sei lá, ter feito um intercâmbio e muito, muito trabalho voluntário. Assim como vários cursos livres. Com tudo isso, você começa a ver que em outros países a taxa de #desemprego quase nem existe. Por que ainda não me mudei para lá?

Mas espera aí. Você acabou de se formar e não tem emprego, como você vai conseguir fazer tudo isso? Agora é que vem o grande problema: só ter uma faculdade não é o bastante.

Próximo passo: será que eu esqueço que me formei e aceito emprego de vendedor de loja? Mas me esforcei tanto para me formar para aceitar um emprego, por mais digno que seja, que não precisa de diploma? Mas eu também não quero mais depender dos meus pais, porque, afinal, eles já me pagaram escola e está na hora de retribuir, certo?

Todo mundo fala que você tem que se valorizar profissionalmente e que tem que escolher o emprego que melhor lhe cabe.

Publicidade

Afinal, "eu tenho que trabalhar no que gosto, certo?" Com isso em mente, "vou continuar mandando cem currículos por mês e esperar que alguém chame". E a questão da retribuição, como fica?

São essas e muitas outras perguntas que vão ficar sem resposta até que você decida como vai agir. As pessoas, muitas vezes seus parentes, vão continuar com as perguntas e afirmações maldosas de que como você ainda deixa sua mãe continuar trabalhando para lhe sustentar?

Cabe a você e somente a você tentar dar um jeito na sua vida. Quer um conselho? Dedique-se àquilo que você gosta. Gosto de algum idioma? Dedique-se a ele. Gosta de escrever? Escreva. Gosta de ler? Leia. Por mais que isso não lhe dê dinheiro, você está fazendo algo que gosta, certo?

Se você tem algum amigo/conhecido que esteja trabalhando e sente inveja ou raiva dele, tenha inveja e raiva. Afinal, a vida é muito curta para a essa altura do campeonato você ainda ter que mentir sobre os seus sentimentos.

Se você achava que esse seria um texto motivacional com mil e uma dicas para conquistar o tão sonhado emprego, você está bem enganado. #2017 #Desemprego #Opinião