A atual greve no estado do Espírito Santo se iniciou no dia 4 do mês de fevereiro e acarretou grandes mudanças, tanto para a população, quanto para o atual governador. Os prejuízos por parte dos comerciantes já chegam a quase cinco milhões de reais. E não param por aí. A criminalidade cresceu assombrosamente e, segundo o sindicato dos policiais civis, se registraram mais de 101 mortes no estado.

Como começou a manifestação no estado?

Tudo teve início com uma manifestação feita por familiares dos policiais, visando o reajuste salarial. O movimento foi realizado em frente ao batalhão da corporação, de forma a impedir a saída de veículos.

Publicidade
Publicidade

O protesto resultou em caos absoluto na segurança da população. Muitos, aproveitando do momento de fragilidade atual do estado, saquearam lojas e tornaram a cidade muito perigosa, forçando alguns comerciantes a fecharem mais cedo, ou simplesmente não abrirem o estabelecimento.

Qual o salário dos policiais?

Os policiais recebem aproximadamente 2.600 reais no estado. Se quiserem receber um pouco mais, têm que cumprir três escalas extras, que dá um total de dezoito horas por mês, cada escala com 6 horas, que somam 400 reais.

Não há correção inflacionária há três anos, que é garantido pela Constituição Federal, ou um aumento real há pelo menos sete anos. Os policiais não recebem vales refeição e nem plano de saúde.

O governador fez um pronunciamento e alegou que toda a situação seria uma “chantagem” e que está disposto “a conversar dentro das realidades de caixa”.

Publicidade

Esperamos que sejam atendidas as reivindicações dos então policiais do estado, e que o patrulhamento volte a ser feito, pois todos nós pagamos impostos e temos direito a salários dignos e a segurança pública. E o profissional que realiza o trabalho satisfeito, consegue exercê-lo muito melhor e de maneira mais eficiente para o bem de todos nós brasileiros. Então, devemos participar do desenvolver dessa história, visando o bem comum, para que o nosso país se torne mais justo a cada dia, e devemos apoiar, pensando nos reais motivos das duas partes envolvidas. #Espirito Santo #Greve no Espírito Santo #Casos de polícia