"Quando a cabeça não pensa, o corpo padece" é um conhecido ditado existente não só na língua portuguesa, o qual significa que quando as pessoas agem de modo irrefletido ou por impulso, seus atos podem, muitas vezes, trazer sérias consequências negativas para elas próprias e para terceiros. Surgem fortes emoções de raiva, pavor, medo, arrependimento, prejudicando a própria saúde de quem baseou a sua vida em falcatruas, roubos, #Corrupção e toda a sorte de coisas ruins. Cenário esse que tem se tornado lamentavelmente cada vez mais comum no Brasil, sendo comprovado com a crise política e econômica sem precedentes ao longo da história nacional. Tanto é assim, que um dos assuntos mais comentados nos últimos dias foi a prisão do empresário mineiro #Eike Batista no Rio de Janeiro pela PF – Polícia Federal.

Publicidade
Publicidade

Por outro lado, mais importante até do que tentar adivinhar se Eike ou o seu amigo e comparsa Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, que também está preso em Bangu, vão desenvolver algum tipo de transtorno físico ou até mesmo psicológico como TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), Transtorno Bipolar, Depressão, Síndrome do Pânico, entre outros, é que todos tenham a consciência de que o cidadão comum por anos vem sendo acometido dos mesmos males causados por políticos salafrários e empresários gananciosos, com a total omissão da maior parte dos governantes estabelecidos no poder em uma linha longa de tempo.

Agora o que de certo modo seria algo bastante cômico se não fosse trágico, é que os tais grandes “caciques” do cenário brasileiro atual, muitos deles sempre condicionados a consumir, por exemplo, fartas e laudas refeições, em diferentes horários, como no caso de Eike Batista, tiveram a sua dieta alimentar atrás das grades alterada a contragosto.

Publicidade

O empresário terá de sobreviver se alimentando de itens para o café da manhã, que por ironia é pago com o dinheiro público, tais como: pão com margarina e café com leite, o mesmo oferecido aos demais indivíduos que se encontram aprisionados.

Quanto às refeições principais, servidas por meio das quentinhas, o cardápio não se torna tão mais rico, onde arroz, feijão, macarrão e geralmente um pouco de carne moída, que pode ser alternada para peixe ou frango, são os componentes principais dessas refeições dos presídios, mas não pára por aí, pois no lanche da tarde, Eike está tendo a oportunidade de novamente saborear pão e margarina, ou bolo, e beber uma bebida tipicamente nacional, que é guaraná. Felizmente, igual a muitos brasileiros, Eike não morrerá só se alimentando destes alimentos.

Talvez diante dos reveses que a vida de Batista tenha assumido, ou quem sabe, um possível arrependimento de ter pactuado com homens maus, o mesmo teria se negado a fornecer propina para Sérgio Cabral e seus asseclas corruptos, que contribuíram para que o Estado do Rio de Janeiro afundasse em detrimento da população de bem da região. #Sergio Cabral