No dia 8 de março é comemorado o Dia Internacional da Mulher. Apesar de muitos não se importarem com a data, não é um dia comum. É o dia de ser reconhecido o papel e o lugar da mulher na sociedade.

Quem viveu ou conhece um pouco de historia sabe a importância deste reconhecimento. As mulheres no passado eram tidas como seres aquém da sociedade, não podiam se expressar, terem liberdade, terem direitos. O dia 8 março foi o marco para a historia mundial. O seu primórdio veio de um movimento feminista, uma greve das mulheres trabalhadoras por luta da igualdade de direitos trabalhistas e contra a fome.

Durante muito tempo outras questões foram introduzidas ao movimento.

Publicidade
Publicidade

O dia foi usado por meio de campanhas politicas, por meio de propagandas comerciais e tantos outros usos. Por um período caiu no esquecimento.

Voltou em 1975 quando a ONU (Organização das Nações Unidas) designou como o Ano Internacional da Mulher e em dezembro 1977 foi adotado o Dia Internacional das Mulheres para lembrar as conquistas sociais, econômicas e politicas das mulheres.

Dia de comemoração feminista é marco para a busca de igualdade, luta contra o machismo e misoginia, que é o ódio gratuito contra mulheres. Muita coisa foi mudando ao longo da historia, nosso papel, mulher, na sociedade foi tomando espaço e hoje temos um papel quase igual ao dos homens, não sendo pleno por conta de alguma parte da sociedade.

O reconhecimento de pertencermos a sociedade e o direito de escolhermos qual papel queremos ter nela nos faz muito bem, nos mostra que mesmo que alguns ainda menosprezem ou diminuam a mulher, nós mulheres somos seres de direitos e deveres igualmente aos homens.

Publicidade

Ao longo deste curto período, podemos observar grandes avanços sociais.

As mulheres com isso puderam fazer suas escolhas e ter acesso ao que desejava, igualmente aos seres do sexo masculino. Não por isso devemos nos igualar biologicamente aos homens, nossa estrutura corporal é geneticamente diferente a dos homens.

Lógico que se nos prepararmos, exercitarmos, podemos ficar até mais fortes que muitos homens, mas de uma maneira geral e meio comum entre mulheres e homens, somos mais frágeis fisicamente que os homens. Isso não nos é demérito, nem nos faz pior ou com menos direito.

Temos que reconhecer que é uma característica feminina e valorizá-la como. Os homens passaram a reconhecer isso atualmente e nos respeitar mais, pois somos além de uma característica física.

Em 2006, através de um pedido social, obtemos a criação da lei n ° 11.340, conhecida como Lei Maria da Penha, que visa garantir a mulher a proteção contra a violência de seus maridos, namorados, companheiros. Além de muitos homens serem presos e condenados através dela, a lei contribui muito para a mulher, pois muitos homens hoje deixam de agredir fisicamente e psicologicamente a mulher só pelo medo de serem presos.

Publicidade

Os que ainda o fazem, são punidos.

Claro que não é o ideal que queremos e buscamos. mas quantas mulheres sofriam caladas sem ter quem pudesse interferir neste meio abusivo que se encontrava a mulher. Como dizia o ditado popular: “Em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher”. Ditado que não encaixa mais em nossa sociedade. Hoje o homem não agredirá a companheira por medo de ser preso, amanhã não agredirá por vergonha dos julgamentos sociais por este ato e chegará o dia que os homens sentirão uma vergonha intima de cometer qualquer ato contra a integridade da mulher.

Hoje, mulheres, vamos espalhar notícias boas, novidades felizes, vitórias e superações de mulheres fortes que querem seu lugar reconhecido na sociedade. Enquanto isto não chega ao ideal, vamos comemorar todas nossas vitórias e conquistas! Deixe nos comentários alguma coisa boa para nos contar hoje, algo que mereça nosso aplauso e comemoração de todas as mulheres!

Acesse:

Atividade para proporcionar melhor qualidade de vida.

A ex-presidente do Brasil Dilma Rousseff convoca mulheres para marcha contra o avanço conservador #8marco #porigualdade