No Brasil, hoje, há 13 milhões de pessoas desempregadas que estão à procura de emprego. E a culpa de toda essa gente deslocada é única e exclusivamente daquelas mesmas pessoas que dizem defensoras dos direitos dos trabalhadores, alegando que há retrocesso na lei com a #terceirização.

Nesse meio de políticos com viés ideológico esquerdista: o que mais espanta não é o excesso de desempregados, e sim o excesso de papelada e direito que mantêm e aumenta a cada dia o número de #desempregados. Isso sim torna um país parado e sem solução para nenhum dos lados: tanto econômica, quanto juridicamente. Mas para entendermos melhor como essa lei funciona na prática, temos que entender primeiro o que a lei nos diz.

Publicidade
Publicidade

Conforme a legislação, somente as conhecidas atividades-meio conseguem ser terceirizadas hoje no país. Um exemplo, dessa situação, é quando uma empresa de brinquedos não pode contratar uma empresa terceirizada relacionada à fabricação de brinquedos, mas pode, por exemplo, contratar uma empresa terceirizada para fazer a segurança e a limpeza dela. Ou seja: as atividades-meio não têm relação direta com o produto final, no caso, o brinquedo. E é aqui que entra a nova ideia do Projeto de Lei 4.302.

De acordo com a nova lei: a terceirização será para quaisquer atividades-fim, ou seja, a mesma empresa de brinquedos, do exemplo do parágrafo anterior, poderá contratar uma empresa terceirizada para quaisquer fins que assim desejar com relação ao brinquedo. Suponhamos, por exemplo, um boneco: a empresa em questão consegue fazer todo o processo do boneco, só não consegue fazer o cabelo daquele mesmo boneco, contratando uma empresa especializada que o consiga fazer, dando uma flexibilidade a empresa contratante para focar mais na sua especialidade e deixando as partes, que assim julgar, mais secundárias para outras empresas contratadas.

Publicidade

Com efeito, haverá mais empresas se especializando em determinado setor. Em consequência: a empresa contratada precisará contratar mais mão de obra para suprir o seu setor: ou seja, haverá mais opções de trabalho para o povo brasileiro, tendo por consequência a diminuição do número de desempregados.

Portanto, a questão que fica é: qual o problema de diminuir 13 milhões de desempregados?