Em atitude inusitada o Papa Francisco recomendou aos sacerdotes católicos o uso do exorcismo ao enfrentarem no confessionário profundas inquietudes espirituais. A recomendação foi feita durante uma missa, nesta sexta-feira (17), em homenagem a Jacques Hamel, sacerdote morto por jihadistas islâmicos dentro de sua paróquia em julho do ano passado. O pontífice, diferentemente dos seus antecessores, tem abordado constantemente temas relacionados a Satanás e a sua atuação destrutiva nas mazelas presentes na sociedade.

Para Francisco, a maioria dos distúrbios humanos é de ordem psicológica e, portanto, devem ser tratados com os recursos aplicados pela psicologia.

Publicidade
Publicidade

Em contrapartida, em casos extremos, onde existem evidencias de ações de origem maligna, o exorcismo deve ser praticado de acordo com a liturgia homologada pela igreja.

Quebrando tabus

O padre Jorge Mario Bergoglio, desde o início de seu pontificado em 2013, quando passou a se chamar #Papa Francisco, vem quebrando tabus dentro da Igreja Católica Apostólica Romana. Temas até então pouco discutidos como relações homossexuais, divorciados na igreja, celibato dos sacerdotes e agora exorcismo passaram a fazer parte da pauta do Vaticano. Isso, é claro, tem promovido grande oposição ao chefe da igreja, principalmente por parte da ala mais conservadora do catolicismo.

O exorcismo foi uma prática muito difundida na igreja romana durante a Idade Média. Práticas um tanto controversas fizeram com que esse ato fosse perdendo espaço entre os católicos até cair em completo desuso.

Publicidade

Nos últimos anos, o exorcismo vem ganhando notoriedade através das seções de "descarrego" realizadas pelas igrejas neopentecostais, que se utilizam dos mais diversos métodos para expulsarem os demônios.

Será que podemos enxergar nessa iniciativa do vaticano uma tentativa de evitar a perda de fiéis para o protestantismo? Ou simplesmente é o retorno a um rito inerente ao exercício do sacerdócio cristão? O tempo trará consigo as repostas. O certo é que, independentemente das motivações, a postura do Papa Francisco em relação a temas tabus tem promovido um amplo debate dentro da milenar tradição católica. #2017 #Igreja Católica