Os jovens estão vivendo cada dia mais acelerados devido à preocupação com a vida futura, desde o ensino médio começam a se auto cobrar e serem cobrados no intuito de conseguirem ingressar em uma boa faculdade e terem um futuro brilhante. Quando enfim conseguem o titulo de universitários, levam uma vida de total dedicação ao curso escolhido, rejeitam por diversas vezes momentos de lazer, sempre dizendo a si mesmo: “meu futuro depende disso”, eles correm contra o tempo e por vezes acabam se privando da vida que desejariam. Ao findar a fase universitária, muitos se deparam então com a difícil tarefa de entrar no mercado de trabalho, que tem por característica uma imensa competição.

Publicidade
Publicidade

Com a Reforma da Previdência, os jovens que ingressarem no mercado de trabalho aos 16 anos irão conseguir se aposentar aos 65 anos, aqueles que começarem a trabalhar com 25 se aposentarão aos 74. Especialistas favoráveis aos trabalhadores demonstram que há interesses financistas por detrás da Reforma da Previdência. Resumindo, quanto mais cedo começar a contribuir, melhor. Sendo assim, a corrida para garantir o futuro se tornará ainda mais intensa e competitiva, a juventude brasileira se tornará ainda mais acelerada e a preocupação se multiplicará, as inquietações, como “e se eu não conseguir?” “eu não vou conseguir” “eu preciso conseguir”, irão torturar cada vez mais a mente do jovem brasileiro.

O PAIS MAIS DEPRESSIVO

A questão é: todo esse “aceleramento” traz benefícios? Dados informam que a população brasileira aumentou a sua expectativa de vida.

Publicidade

De fato as pessoas estão vivendo mais, e em contrapartida com menos qualidade de vida. Segundo a OMS, estima-se que 5,8% da população nacional seja afetada pela depressão, o Brasil está na posição de pais mais depressivo da America Latina. Pode-se imaginar o motivo de um fato tão assustador como esse.

A sociedade de fato educa a juventude para serem presas as suas vontades, ensinam a serem seres lucrativos e não os ensina a serem livres em suas emoções, mas de fato isso não faz sentido em uma sociedade capitalista. Não se tem escolha, ou talvez tenha, ainda existem direitos que podem ser postos em pratica, ou será que são direitos apenas teóricos? #2017 #PrevidenciaSocial