Há uma enxurrada de reportagens nos meios de comunicação onde se parte da premissa que #obesidade é sinônimo de #Doença ou é uma doença. Seriam os obesos mais "doentes" que os magrinhos?

O senador Romário, entre milhares de outras pessoas, foi submetido a cirurgia para emagrecer, mesmo sem provas científicas de que também serviriam para prolongar a sobrevida deles ao controlar doenças como hipertensão arterial e/ou diabetes. Há, no entanto, uma satanização do sobrepeso em amplas e abrangentes formas, na de se vestir, na moda, no apelo sensual da aparência física, na qualidade e na quantidade da nutrição diuturna. As reportagens midiáticas sobre combate à obesidade pululam nos meios de comunicação.

Publicidade
Publicidade

Ser gordo virou sinônimo de algo ruim. No meio médico também se vê uma fúria em prol da magreza jamais vista. Curioso é que em outras épocas da história humana, era exatamente o oposto. O magro era atestado para ser tísico, tuberculoso ou fraco. Naquela época, os suplementos alimentares que as mães impunham aos filhos propunham engordar. Hoje isso seria uma heresia, é propagado que o certo é ganhar massa magra.

Muito pouco se sabe em relação à incidência de doenças associadas à obesidade. Em algumas delas, com e maior ênfase que outras, por exemplo, o diabetes e a pressão alta, mas estas patologias continuam incidindo também nos magros, e, às vezes, com muito mais gravidade.

No início da era industrial, com a descoberta de novas tecnologias de preservação do alimento, as pessoas passaram a ter acesso amplo a melhor dieta, inclusive pelo barateamento da comida, principalmente de fonte proteica.

Publicidade

O tempo de validade da carne, então, aumentou de forma abrupta.

Nos países mais desenvolvidos, as taxas de longevidade são as melhores. Inclusive, a população pode adquirir alimento de boa qualidade e barato. Coincidentemente, a incidência de obesidade nestas populações é grande.

Considera-se que o desempenho da indústria farmacêutica também colabora com esse aumento da sobrevida nos diabéticos ou hipertensos ou os dois, em obesos ou não, ajudando as pessoas a viverem mais e melhor.