Em sua grande maioria, eles afirmam que não queriam ser gays. Não escolheram ser gays. Ainda assim, a sociedade “moderna” não apenas julga, mas também destila um ódio irracional contra os homossexuais. A família os rejeita, a sociedade os rejeita e as religiões, especialmente as tradicionais, reservam para eles o pior dos infernos imaginados.

Esse cenário obscuro e em sua grande parte aterrador e dramático explica em grande parte os motivos pelos quais esses jovens preferem não assumir sua #Homossexualidade

O canal do YouTube Põe na Roda abordou esse tema (para não dizer problema) em um vídeo divulgado recentemente. Foram convidados alguns desses adolescentes que ainda estão “no armário” para participarem de uma conversa.

Publicidade
Publicidade

Esse “armário” no qual esses jovens se escondem por medo do que possa vir a acontecer a eles poderia ter diversos outros nomes: prisão, masmorra ou quarto da tortura. Se trouxessem para fora o que eles guardam dentro do armário, a família, a igreja, a escola e o trabalho com certeza tomariam rumos diferentes e não raro, com ações pendendo para o lado negativo.

O maior problema disso tudo é o fato de que esses adolescentes desde cedo já começam uma vida vazia fundamentada na mentira ou na omissão de determinadas verdades.

A situação chega a ser tão dramática que não é difícil encontrar aqueles que afirmam que se pudessem se tornariam heterossexuais. Tudo para poder ter e desfrutar da liberdade que é meio que algo feito apenas para quem é hetero.

As histórias que os jovens convidados abordaram no vídeo do Põe na Roda falam sobre muita coisa, mas quase todas elas dramaticamente profundas.

Publicidade

Uma delas é o machismo. Afinal, não é difícil achar um pai com o pensamento sobre o que as outras pessoas irão achar se descobrirem que ele tem um filho gay.

Na religião a coisa não é menos corrosiva. Os gays automaticamente estão condenados ao inferno.

Enfrentar o mundo ao sair do armário não é apenas uma decisão. Na conjuntura atual da situação chega a ser mais do que um ato político: um ato heroico consigo mesmo, e com as gerações futuras.

E você leitor? Qual sua opinião a respeito deste tema? O que você acha que deveria mudar para que esse cenário se transformasse? Deixe sua resposta em nossos comentários.

O vídeo “O que há dentro do armário?” pode ser conferido abaixo:

#Preconceito #Comportamento