Cristovão Borges já chegou ao Vasco rejeitado pela torcida. Em uma enquete realizada pelo site Globo Esporte assim que foi definida sua volta para São Januário, 72% dos vascaínos reprovaram seu nome. Então, é nítido que a paciência com ele seria mínima, qualquer erro se tornaria em algo grande, e os cruzmaltinos não perdoariam.

E assim vem sendo desde que começou seu trabalho no clube. Cristovão não tem sossego para tentar implementar nada do que pensa. Fato esse que aconteceu nos últimos dois clubes que dirigiu: Flamengo e Corinthians.

O final da história parece se repetir mais uma vez. Isso porque o #Vasco não fez nenhuma partida boa até agora.

Publicidade
Publicidade

Sua saída é iminente, e se não tivesse arrancado um empate contra o Macaé, poderia até ter sido neste domingo (12). Caso não passe do Vitória na próxima quinta-feira (16) pela Copa do Brasil, dificilmente Eurico Miranda conseguirá bancar a permanência dele.

A pressão é enorme, não somente por parte dos torcedores. Dentro do Vasco, os conselheiros também estão cobrando uma mudança em imediato. Toda essa resistência reflete numa energia negativa dentro da instituição.

Cristovão carrega uma áurea pesada por toda a indignação dos torcedores com ele, e isso acaba passando para a equipe em campo. O time é reflexo deste clima tenso e o jogo não flui, atua de forma presa, com muita dificuldade de criar oportunidades de gols.

Cristovão é ruim como a maioria diz? Difícil cravar algo, pois não consegue ter tranquilidade em lugar nenhum.

Publicidade

Ninguém consegue trabalhar desta forma. Parece que já chega as equipes com prazo de validade. Mas a realidade é que não consegue exercer um trabalho mais uma vez e a sua imagem, que já não é das melhores, tende a ficar pior ainda.

Ricardo Gomes

No meio disso tudo, surge o nome de um velho conhecido do cruzmaltino: #Ricardo Gomes. Depois da infelicidade do ocorrido em 2011, o vascaíno pegou um carinho muito grande por ele. Fora isso, foi campeão da Copa do Brasil pelo Vasco, fortalecendo ainda mais esse laço entre as partes.

Vale lembrar, que pegou o Gigante da Colina no pior início da história, com diversas derrotas no Carioca, mas mesmo assim conseguiu levar ao topo do futebol brasileiro. Foi substituído pelo seu auxiliar, justamente o atual técnico do clube, que nunca conseguiu passar a mesma confiança do seu antecessor.

Se Cristovão não consegue ter a simpatia do cruzmaltino, Ricardo esbanja empatia. Se com Cristovão o clube vive um clima pesado e sem tranquilidade, o antigo técnico traria leveza e muita harmonia.

O Vascaíno adora Ricardo e sem dúvidas seria o melhor nome para substituir Cristovão neste momento. São Januário, que está passando por um momento de turbulência, grita pela calmaria que brindaria Ricardo Gomes. #Cristovão Borges