Na visão do governo, a reforma da Previdência é necessária porque há rombos estimados da ordem de R$ 181,2 bilhões nos cofres públicos desse órgão. As pessoas simplesmente não estão morrendo no tempo estimado pelo INSS. Há muitos idosos e pensionistas recebendo "benefícios" superiores ao tempo que o governo leva para arrecadar de contribuintes mais jovens.

Nesse momento o governo teve a grande ideia: aumentar o tempo de contribuição para encher os cofres públicos. Essa informação parece um pouco radical para quem olha à 1ª vista, mas segue a proposta do governo que diz o seguinte: na regras atuais da Previdência, o tempo mínimo de contribuição para receber a aposentadoria integral é de 35 anos para homens e 30 para mulheres.

Publicidade
Publicidade

A proposta do governo aumenta esse tempo para 49 anos fixados para ambos os sexos. Hoje, se você tiver 15 anos de contribuição, pode requerer os benefícios com o cálculo de descontos das médias dos anos trabalhados, sendo que o valor do benefício não pode ser inferior a 1 salário mínimo. Mas agora o governo quer aumentar também essa média para 25 anos de recolhimento do INSS. Em termos simples, se não houver contribuição durante 25 amos no mínimo, nem a cor do dinheiro o trabalhador verá, dependendo exclusivamente da ajuda financeira dos filhos ou parentes próximos, isso se eles quiserem.

Vamos supor que um jovem de 18 anos hoje comece a trabalhar sob regime de CLT. Apenas quando ele tiver com 67 anos de idade sua aposentadoria será integral, porque 18+49 = 67. Mas essa é a controvérsia, virtualmente você nunca se aposentaria com salário integral com o cálculo da média, porque simplesmente não se consegue chegar nos 65 anos de idade com 49 anos de contribuição.

Publicidade

Ou ou cidadão trabalha até os 65 e "doa" os 2 anos restantes para o governo, ou aguenta mais 2 anos (67) e trabalha até completar o tempo necessário de contribuição. Lembrando que esse cálculo leva em conta que o cidadão começa a trabalhar com 18 anos, mas pesquisas mostram que o jovem começa a trabalhar com 21 anos ou mais, o que aumentaria esse tempo de descontos do INSS.

A proposta do governo simplesmente ceifa o direito do cidadão à vida, porque, afinal, não há como gozar desse benefício quando se têm uma idade mais avançada, onde o corpo e o desgaste do tempo não deixam o trabalhador aproveitar o que ainda resta de vida. Essa proposta quer fazer você literalmente morrer trabalhando ou trabalhar até morrer. #Política #Economia