Atuar de forma ética exige de qualquer profissional atenção e exercício de comportamentos justos, sobretudo quando se é responsável diretamente pela formação de outras pessoas, como é o caso dos professores.

O que é ética?

A ética, de um modo geral, é conceituada com uma teoria ou ciência que versa sobre o comportamento do homem diante da sociedade, ou seja, os interesses individuais de cada pessoa precisam estar em consonância com os interesses da coletividade. Agir com ética supõe agir mediante a observação de princípios que visem o bem comum.

Desta forma, os atos humanos, quando éticos, devem observar a coletividade, considerando que viver em sociedade requer a observação de regras básicas de convivência.

Publicidade
Publicidade

A ética na atuação profissional do #professor

Para o professor, a questão da ética ganha uma atenção especial, tendo em vista seu lugar de excelência como formador das futuras gerações. Este profissional tem o poder de inspirar comportamentos, pois é modelo e referência para seus alunos.

Diante da responsabilidade social no exercício da profissão, o professor necessita observar determinadas ações no cotidiano da escola, na relação com seus pares, com seus alunos e com as famílias, entendendo que a ética se materializa no aprendizado e no exercício constante de práticas que perseguem a justiça social.

Além disso, para o educador de crianças pequenas estão construindo as bases de seu desenvolvimento afetivo, motor, social e cognitivo, enquanto o mundo se descortina à sua frente. Há determinadas ações éticas que não podem ser perdidas de vista: #ética #Educação

  • Cultivar e exercer atitudes justas entre as crianças. O professor não deve impor-se pela força, nem permitir que algum colega mais forte se sobreponha a outro por conta de sua condição física, por exemplo;
  • Não incorrer em situações que possam caracterizar preconceito de qualquer natureza;
  • Havendo necessidade de chamar a atenção de algum aluno, o professor de fazer de forma leal e franca; Nunca fazer referência a alguma característica física (ou de outra ordem) da criança de forma desrespeitosa. A reclamação deve ser objetivamente sobre a ação praticada;
  • Abster-se de expor na sala de aula situações da vida particular da família da criança que possam ridicularizá-la;
  • Nunca, sob nenhuma circunstância, negar assistência ao aluno em resposta a alguma situação de conflito com a família ou a alguma contrariedade fruto da ação da criança;
  • Considerar a fala e o ficar atento ao comportamento das crianças no decorrer da aula. Muitas vezes, as crianças podem não verbalizar suas emoções por não saberem ou por não se sentirem seguras o suficiente para falar;
  • Só fazer para as crianças promessas que pretende cumprir;
  • Dirigir-se à família de forma sincera e respeitosa evitando julgamentos.