#Aquarius” (2016), com direção de Kléber Mendonça Filho, é um dos maiores destaques do cinema brasileiro nos últimos anos. A fórmula do sucesso do filme nada mais é do que a simplicidade e o contexto de sentido social ao qual está inserido no roteiro. A órbita gira em torno de nossa sociedade com um olhar crítico a respeito dos conflitos e relações humanas.

Clara é uma jornalista e escritora aposentada, viúva e mãe de quatro filhos adultos e independentes. Vive na tranquilidade do seu apartamento no edifício Aquarius, localizado na praia de Boa Viagem, Recife (PE).

Clara tem uma relação pessoal com o local, onde criou seus filhos e teve bons momentos ao lado de sua família.

Publicidade
Publicidade

O #Filme começa com a nostalgia do início dos anos 1980, comemorando o aniversário de 70 anos de sua mãe, depois de uma longa batalha contra um câncer de mama, deixando-a com uma sequela para o resto da vida.

O tempo passou, a família foi se dispersando aos poucos, como também os moradores do edifício. Passado muitos anos até chegar em 2016, Clara é a única residente morando no local. Até receber a visita da equipe de construtores responsáveis por um projeto de demolição do edifício, sendo impulsionada a aceitar uma proposta financeira para sair do local.

Tendo que conviver com a pressão imposta pela construtora e principalmente por Diego, um jovem engenheiro em ascensão responsável pelo projeto. Enquanto isso, Clara vive sua vida de forma intensa, indo dar seus mergulhos na praia e momentos de descontração com as amigas.

Publicidade

O enredo aborda as relações íntimas da protagonista com seus filhos, empregada e questões de sexualidade. Como também a ótima relação que tem com seu sobrinho Tomás e o salva-vidas Roberval e o conflito com a imprensa sobre seu recente livro lançado e as entrevistas concedidas devido o lançamento.

O filme termina com a disputa na Justiça entre Clara e os executivos da construtora, que sabotam as estruturas do prédio para que ela como a única moradora possa sair dele de qualquer jeito.

Indicado e vencedor de diversos prêmios internacionais, considerado um sucesso de público com meio milhão de espectadores no Brasil, o filme que incomodou o governo Temer, por sua forte crítica a posição política do diretor.

Causando atos de protestos em todos a estreia, foi impedido pelo Ministério da Cultura de concorrer uma vaga para o Oscar. “Aquarius” traz em seu elenco uma variedade de atores que vieram do teatro e uma luminosa Sônia Braga no papel de Clara.

O filme marca seu retorno triunfal ao cinema brasileiro, vencendo diversos prêmios de melhor atriz em 2016. Amantes do nosso cinema não podem ficar sem assistir essa obra-prima da atualidade. #SoniaBraga