Se você esta vivendo um relacionamento amoroso complicado, esta matéria é para você. Existe um padrão interessante nos #Relacionamentos, onde o casal junta, separa, volta, separa e vira um círculo vicioso. Infelizmente, acaba por saturar uma das partes ou ambas. Podendo demorar a cair a ficha, e, em alguns casos, isso não acontece nunca. Mas duas emoções prevalecem: a resignação e o arrependimento.

Geralmente esse relacionamento passa por essas fases:

Reconciliação

A reconciliação do casal após uma separação costuma ser um momento muito bom, e esse é momento de “máximo” de um relacionamento turbulento e acaba sendo um momento feliz e de "trégua".

Normalmente, reconciliação se baseia em ideias românticas, crendo que o #Amor será o suficiente para compensar a mudança ou a falta de uma mudança. Muitas vezes podem acabar de vez com a relação. O inverso, ou seja, basear o relacionamento apenas em fatos concretos, sem levar o amor em conta, também é muito comum e pode causar angústias nas relações, tornando a relação vazia e sem estrutura.

Não há como ter garantia de sucesso, a frustração será sempre inevitável para esses casais, portanto, o casal deve pensar e repensar, para aceitar e acatar as diferenças, as necessidades, os medos e o tempo de cada um.

Aprisionamento

Certos casais querem controlar um ao outro, esse comportamento sempre causa problemas na vida a dois. Não existem regras definidas no #Casamento, não tem como seguir um manual e dar tudo certo.

Temos que nos adaptar às circunstâncias do momento. Alguns problemas nunca serão resolvidos, se uma das partes não abrir mão. Essa intolerância sempre gera brigas e discussões. Esse comportamento teimoso acaba saturando a relação e a pessoa acaba se sentindo preso(a) no casamento.

Idas e vindas

É muito comum essa rotina saturar o relacionamento e o casal, já cansado de tantas brigas, separações e voltas tem que decidir e tomar uma posição “definitiva”. Se houver uma separação pode haver a sensação de “amor e tempo perdido”. Pode até perdurar uma dúvida eterna e uma das partes nem conseguir viver um novo amor.

Se resolverem permanecer no relacionamento poderão ser infelizes. E isso pode ser péssimo e trazer ao relacionamento traição e violência, inclusive a psicológica.

Nos dois casos, você vai acabar sendo infeliz e fazendo o outro infeliz.

Aceitação

No centro desse furacão estão os motivos. Para saber como lidar com isso, terá que descobrir se os motivos são construtivos ou destrutivos.

Faça uma análise sincera e veja se o resultado é positivo, neste caso siga em frente, se não, será preciso mudar. E isso tem que começar por dentro.

Uma pessoa que vive em um eterno relacionamento ioiô enfrenta um conflito interno: quando está junto, quer separar. Quando separa, quer estar perto. Se você passa por esse problema, precisará decidir o que é melhor: juntos ou separados?

Qualquer que seja a decisão, procure ter uma vida feliz. Compreenda e aceite suas emoções. Aprenda aceitar as pessoas como elas são. Mantenha a liberdade e o respeito, entenda que ninguém é responsável por sua felicidade. E jamais aceite a responsabilidade de fazer alguém feliz.