Não precisa ser a Sibila de Cumas, tampouco possuir o dom da clarividência para prever o que poderá acontecer com o Brasil caso a #classe política continue insistindo em não levar a sério os anseios e a indignação popular. Não restam dúvidas de que, se os políticos brasileiros continuarem ignorando as reivindicações e o clamor da sociedade da forma sistemática como vem fazendo, estarão colocando o país em um estado de convulsão social permanente. Se é que podemos afirmar que isso já não está acontecendo.

Há cerca de um ano, grande parte da população brasileira estava nas ruas pedindo a destituição da então presidente, Dilma Rousseff.

Publicidade
Publicidade

Após um longo processo e um intenso debate em torno da questão, o objetivo foi alcançado. O brasileiro que foi às ruas, a partir daquele momento, passou a acreditar que havia dado um grande passo no combate a corrupção e que agora, com certeza, o país encontraria o caminho certo.

Mas eis que vieram as primeiras decepções. O Governo que sucedeu Dilma Rousseff apresentou logo de cara o seu cartão de visitas, nomeando para ocupar ministérios diverso políticos investigados pela #Lava Jato. Logo depois, surge uma gravação do senador Romero Jucá (PMDB) em meio a uma conversa com um ex-dirigente da Transpetro que traz à tona a revelação estarrecedora de que grande parte da classe politípica articulava um grande acordão para barrar a #Lava Jato. Vale lembrar que, conforme a gravação, o próprio impeachment teria sido um resultado dessa grande articulação.

Publicidade

De lá para cá as coisas só pioraram. O Governo e os políticos de Brasília, totalmente desacreditados, ao invés de promover ações que tenham como finalidade recuperar a confiança da sociedade, testam até os últimos limites a paciência do povo brasileiro. Aprovam leis e reformas que surrupiam direitos dos cidadãos. Elaboram projetos de leis para coibir investigações e punir autoridades. Promovem descaradamente o desmonte do estado e a precarização das relações de trabalho. Eles estão apagando fogo com gasolina. Eles parecem não ter a noção de que estão colocando o país à beira de uma ruptura social. A sociedade já está de saco cheio e é melhor não pagar para ver.

Greve geral marcada para o dia 28

A greve geral marcada para o dia 28/04 pode dar início a uma grande onda de reação popular contra as últimas ações implementadas pelo Executivo Federal e Congresso Nacional. A greve tem como objetivo principal manifestar-se contra as reformas trabalhista e da Previdência Social que tramitam no Congresso. O movimento de paralisação é convocado pela a Central Única dos ##Trabalhadores, frentes de esquerda da Brasil Popular e Povo sem Medo. #Classe política