Não é de hoje que a legalização da #maconha vem causando muitas discussões em debates, já que muitos são contra essa lei por associar o uso da planta aos problemas sociais em que vivemos. Mas também há quem defenda a legalização e alerta para os grandes benefícios para a sociedade.

Então, listamos seis motivos benéficos para se discutir a legalização da maconha no #Brasil:

Combate ao tráfico

A legalização da maconha interfere diretamente no tráfico de drogas, já que, ao ser legalizada, os usuários não precisariam ir em bocas de fumo para comprar a erva. Isso levaria a diminuição do comercio ilícito, que, posteriormente, evitaria que o dinheiro chegasse aos traficantes e que ele fosse investido no crime organizado.

Publicidade
Publicidade

Com o crime organizado enfraquecido, seria mais fácil combatê-lo. O usuário não passaria pelo constrangimento de ser tratado como bandido e sobraria mais tempo para a polícia combater crimes violentos. Um exemplo disso é o Uruguai, que conseguiu reduzir a zero as mortes ligadas ao tráfico de drogas.

Regulamentação das vendas

Outro benefício seria a regulamentação da maconha. Hoje em dia, mesmo com a proibição, não é muito difícil comprar a maconha, como disse o Gabriel pensador, “é mais fácil que pão”. Isso facilita que menores de idade tenha contato com a erva e posteriormente outras drogas e o envolvimento com o tráfico. Com a regulamentação a venda aconteceria em locais autorizados e restrita a menores de idade.

O uso medicinal

Não é de hoje que a medicina assumiu que a maconha tem resultados positivos em pacientes diagnosticados com doenças graves, como o câncer, Aids, glaucoma, epilepsia, mal de Alzheimer etc.

Publicidade

Hoje algumas dessas doenças são tratadas com drogas sintéticas (remédios) que fazem muito mal aos pacientes, como a quimioterapia, que deixa o enfermo muito debilitado. A maconha viria com uma esperança de paz aos pacientes, o que ajudaria durante o tratamento.

Chega de prensado

A qualidade da maconha melhoraria muito, já que hoje boa parte da erva é o famoso prensado, do qual não sabemos nada. Foi constatado em uma pesquisa que 60% da maconha no Brasil é prensada, que é mal colhida, mal armazenada e cheia de impurezas, o que traz malefícios aos usuários.

A legalização daria o usuário o direito de fumar uma ervinha de qualidade, a da boa, escolher o tipo de planta, saber de onde ela veio. Isso também ajudaria na saúde do fumante, que estaria consumindo uma planta natural e nada mais.

Repressão

Com a diminuição do tráfico, os gastos com os presidiários ligados a esse crime também diminuiria muito. Um presidiário tem um gasto três vezes maior que o salário mínimo no Brasil. O número de presidiários ligados ao trafico vem aumentando drasticamente, o que gera muitos custos aos cofres públicos.

Publicidade

Outra situação que também irá melhorar é a descriminalização do usuário, já que a pessoa que for pega com maconha pode ser detido e assinar termos legais como usuário (artigo 28 da lei de tóxicos), o que leva a mais gastos processuais.

Economia

O mercado canábico vem movimentando bilhões nos países em que a erva é legalizada. Com a legalização, o pais arrecadaria bilhões em impostos, o que não seria uma coisa ruim em tempos de crise.

Com a melhora da economia, o dinheiro arrecadado poderia ser investido na educação, saúde, cultura, esporte etc. Como consequência, surgiriam mais vagas de emprego.

Com a venda regulamentada, a indústria precisaria de mão de obra, o que levaria a diminuição do desemprego e da pobreza. O intuito do texto é mostrar os benefícios da legalização para o usuário e para a sociedade, o que financia o tráfico não é o usuário e sim a proibição. #legalizaçãodamaconha