Nós mulheres formamos um gênero, mas agregamos muitas mulheres em nós: a indígena, a branca, a negra, a lésbica, a trabalhadora rural, a portadora de deficiência, a quilombola, aquela em situação de prisão, dentre outras.

Se observarmos a evolução das políticas públicas (como um todo) voltadas para o público feminino ao longo da história, percebemos que aconteceu a passos lentos quando comparada com a velocidade do andar dos direitos garantidos aos homens. Lamentavelmente, na assistência à saúde também não foi diferente.

Voltando um pouco no tempo, podemos observar que a #Mulher servia apenas para a procriação, e por isso, a assistência à saúde da mulher precisava resguardá-la apenas nos momentos ou períodos de gestação.

Publicidade
Publicidade

Por mais que uma mulher tivesse uma prole extensa, os momentos que ela recebia a assistência à saúde eram curtos se levarmos em consideração que o período de idade fértil da mulher não é tão grande.

A saúde integral da mulher foi por um bom tempo da história ignorada e a segmentação na assistência acentuava mais a desigualdade de gênero.

Em busca da integralidade

Foram necessários movimentos e reivindicações para que ocorressem melhorias nesse campo. A atenção à saúde da mulher nem sempre foi o que se tem hoje no mundo e no Brasil, mas foi e é fruto de uma constante evolução pela busca de melhorias, buscando primordialmente a integralidade da assistência.

A integralidade da assistência à saúde da mulher busca contemplar e enxerga-la em todos os seus aspectos e suas dimensões.

Atualmente, existem políticas que como um leque abrem as possibilidades de enxergar a mulher de forma mais ampla, considerando as diversas fases de sua vida e os diferentes papéis que ocupa na sociedade.

Publicidade

Porém, ainda tem muito a se conquistar no campo de saúde da mulher, respeitando os seus valores e entendendo a mulher nos diversos papéis e dimensões.

A conexão entre as mulheres fortalece a consolidação contínua da garantia dos seus direitos, seja por meio das de redes sociais, grupos de mulheres, formação acadêmica e outros meios de informações pertinentes.

O termo empoderamento, difundido nos movimentos femininos, não é apenas um termo de modinha, mas uma forma de postura. Busca-se com o empoderamento da mulher o seu reconhecimento como sujeito de ação e definidor de mudanças na sociedade.

São inumeráveis as mulheres que foram capazes de promover mudanças e avanços no mundo. Sem contar as mulheres comuns que no dia a dia transformam as suas vidas. #Ciência #Maternidade