O Grande Irmão está de olho em você! Em Oceânia, o megabloco de nações de um futuro distópico, previsto por George Orwell na obra “1984”, o Partido (totalitário e repressor) fica em vigília onipresente, o que torna ser livre de pensamento algo muito perigoso. Um dos principais lemas do Partido, repetido à exaustão ao longo do livro, é “ignorância é força”, reforçando a falta de conhecimento como instrumento de dominação.

O protagonista, Winston Smith, é um funcionário do Ministério da Verdade, órgão que tinha a função de controlar as informações e a história. Ou seja, manipular a literatura e todos os tipos de documento para provar que o Partido era infalível e sua versão era sempre a “verdadeira”.

Publicidade
Publicidade

A população deveria aceitar e obedecer. Nunca questionar.

Winston viria a se rebelar contra o Partido até perceber que sua rebeldia fora prevista e controlada pelo próprio sistema, que continuava mais forte do que nunca (acredito que, ainda que por motivos diversos, muitos verde-amarelos compartilham este sentimento de Winston nos dias atuais).

Pois bem, o governo tem investido pesado em propagandas falaciosas, tentando buscar apoio de um povo que está tendo seus direitos ceifados pelas reformas Trabalhista e da Previdência. Na televisão e no rádio, as inserções são constantes e com argumentos discrepantes.

Nas redes sociais, o PMDB lançou uma campanha terrorista afirmando que caso a Reforma da Previdência não fosse aprovada, a população poderia dar adeus ao Bolsa Família, ao Fies, às novas estradas e aos programas sociais.

Publicidade

O governo ilegítimo se aproveita do desemprego e da crise que ajudou a criar para manipular a “verdade” a bem de seu governo, forçando as classes menos favorecidas a cederem seus direitos.

Na distopia temerista, a população deve abrir mão de direitos que teriam no futuro para continuar com aqueles que já tinham assegurados no presente. O presidente da Oceânia golpista ameaça acabar com os programas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para aprovar sua proposta maléfica, que servirá apenas para pagar a conta com a principal financiadora do golpe que lhe serviu: a Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

O Ministério da Verdade de Temer não quer fazer uma auditoria transparente da Previdência, a palavra do Partido tem que ser suficiente. Todos têm que aceitar. Ou perdem direitos.

No livro de Orwell, o grande líder do partido é o Grande Irmão, ele vigia todos o tempo todo através da teletela, uma espécie de televisão futurista onde o telespectador assiste e pode ser visto ao mesmo tempo. No idioma original, inglês, Grande Irmão é Big Brother, nome que inspirou um dos programas de maior audiência da instituição que mais apoia as atitudes totalitárias de Temer: a Rede Globo. #Reforma da Previdência #previencia #Michel Temer